Avicultura sustentável uma solução para produção de proteína animal

(Foto: Freepik)

O mercado de carne de frango e ovos provenientes de sistemas sustentáveis (agroecológicos, orgânico, caipira, certificação de bem estar animal, certificação de produtos sem antibióticos e promotores de crescimento e outros sistemas alternativos) aumenta sua demanda a medida que aumenta a consciência do consumidor para a sua saúde.

O segmento de mercado para a carne de frango e ovos é caracterizado pela presença de diversas marcas e diferentes formas de apresentação do produto.

O setor produtivo e industrial avícola esta voltado para atender o consumidor tanto na praticidade de consumo como para produtos temperados, desossados, pré-assados e com cortes diferenciados. São utilizadas diversas tecnologias como a Individually  Quick  Frozen, IQF, técnica de congelamento rápido que congela um corte por vez, proporcionando ao consumidor que descongele somente os cortes que irão utilizar. Evitando desperdício e degradação do alimento.

A divulgação e marketing das grandes empresas do setor estão voltadas para um esclarecimento ao consumidor, como por exemplo, rótulos com evidencias de não uso de hormônio, mesmo que a utilização de hormônio já seja proibido, de acordo com instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MAPA, número 17/2004. Ou seja, o argumento de marketing é a evidencia de que mesmo com a lei, direciona-se a imagem do produto com a saúde do consumidor.

O mercado de produtos avícolas provenientes de sistemas sustentáveis é caracterizado por pequenas e médias empresas, a oferta de produtos é reduzida tanto em número de marcas como tipos de produtos quando comparado a grande indústria avícola.

Os sistemas de produção sustentável de avicultura são baseados nos princípios da agroecologia e buscam um equilíbrio entre a produção, o bem estar animal, a conservação dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente.

O modelo produtivo agroecológico de aves é baseado em um conjunto de práticas no manejo genético, nutricional, sanitário e nas instalações a serem utilizadas.

O modelo produtivo pode variar de acordo com o objetivo da produção, ou seja, carne ou ovos.

Como exemplo os Sistemas agroecológicos de postura adotam animais mais rústicos, em geral, aves com ovos de coloração avermelhada mais intensa. A tabela abaixo apresenta as principais raças de aves, mostrando também suas principais características.

Raça Peso Médio (kg) Coloração da Casca Produção por Ciclo (60 semanas) Peso Médio dos Ovos (gramas)
Leghorn 2,04 Branca 245 55
Plymouth Rock 3,10 Marrom 180 58
New Hampshire 2,95 Marrom 225 55
Rhode Island 2,80 Marrom 210 60
Isa Brown 2,00 Marrom 280 60

 

Para a produção de aves para abate, a escolha da raça também é um parâmetro importante. Aves com melhor conversão alimentar e desenvolvimento precoce representam menores gastos com alimentação, maior receita devido aos menores custos e, consequentemente, maior lucratividade.

Tabela 2: Raças de Corte

Raça Peso Médio (kg) Dias para Atingir o Peso
Coob 2,50 50
Plymouth Rock 3,10
Pesadão vermelho 2,60 56
Carijó Pesado 2,20 70

 

Definido o foco da produção e a raça, é importante estabelecer o número de animais e se o sistema adotado, se somente pela recria e postura, ou então recria e engorda ou se a cria também será realizada na propriedade. Essa decisão influencia diretamente no dimensionamento das instalações, na mão de obra e nos cuidados, já que a cria é a fase que demanda maior atenção com os animais devido à fragilidade dos pintinhos e os cuidados sanitários.

As instalações são caracterizadas por áreas cobertas e áreas abertas com piquetes que devem ser formados por gramíneas e conter uma área de 2,0 m² por animal. O mesmo deve ser cercado por tela. O abrigo deve conter comedouros, bebedouros, ninhos e poleiros com acesso livre para os animais.

Para um melhor aproveitamento da dos alimentos e da água, o comedouro e bebedouro devem ser regulados na altura no peito da ave. Os poleiros podem ser horizontais ou verticais, respeitando um espaço por ave de 0,30 m. Os ninhos podem ser individuais (0,35x,40×0,40) ou coletivos com área de 1,40m² para cada quatro aves, a coleta dos ovos precisa ser feita pelo menos 3 vezes ao dia, evitando assim a quebra ou contaminação. (exigência da instrução normativa 46/MAPA, Lei 10.831, da produção orgânica).

A uniformidade dos lotes permite realizar uma nutrição mais adequada, seguindo um balanceamento contendo fontes energética, proteica, suplementos vitamínicos e minerais, alimentação e fornecimento de folhosas.  Devido à queda de alimentos no chão e umidade provocada pelo bebedouro recomenda-se que a cama dessas áreas seja retirada diariamente, evitando mau cheiro e até mesmo o aparecimento de vetores. Ao final do ciclo toda a cama deve ser removida e a área deve ser desinfetada utilizando uma vassoura de fogo.

O modelo tecnológico para a avicultura sustentável tem evoluído de forma gradativa de acordo com o aumento da demanda de mercado. Pode-se levantar a hipótese de que este aumento de demanda é uma constatação sobre a aceitação dos produtos (frango e ovos) destes sistemas, ou seja, são produtos de qualidade e atendem a exigência dos consumidores.