Importância da água nos sistemas de produção pecuária’

(Foto: Unsplash)

Água de boa qualidade para os animais é fundamental para a produção de carne e leite de qualidade, além de garantir bem-estar para os animais.

O código florestal estabelece regras para preservação dos recursos hídricos. A exigência de manutenção e/ou recuperação da mata ciliar (Área de preservação permanente – APP) é a principal. Com esta regra os proprietários de terra são obrigados a preservar e recompor (em caso de necessidade) uma faixa pré-determinada de vegetação no entorno dos rios, nascentes, lagos, lagoas e veredas.

O acesso às APP’s só é permitido para obtenção da água desde que não exija a supressão e não comprometa a regeneração e a manutenção a longo prazo da vegetação nativa.

Cerca de 20% da área do país (167 milhões de hectares) é ocupada por pastagens. A maior parte do rebanho brasileiro, de 210 milhões de cabeças (maior rebanho mundial), é criada em pasto, o chamado “boi verde”. (ABIEC, 2016).

Atualmente, a maioria do rebanho bovino consome água através do acesso direto ao recurso hídrico, ou seja, em aguadas naturais como córregos, riachos, lagos, lagoas.  Esta prática promove impactos negativos tanto para os cursos de água como para a saúde dos animais pelo baixo nível da qualidade da água, ou seja, alto nível de contaminação da água ingerida pelos bovinos.

O acesso do gado às margens do curso d’água desencadeia processos erosivos do solo, promovendo o assoreamento e, consequentemente, a disponibilidade de água. Este processo ocorre principalmente através de dois fatores:

  • A ausência de vegetação nas margens dos cursos de água, faz com que a força da chuva diretamente ao solo cause processos de erosão e assoreamento.
  • O pisoteio do gado quando presente em grande quantidade aumenta a compactação do solo, diminuindo a infiltração da água.

Quando o sistema para suprir a necessidade de água do gado é através de água represada (lagos, lagoas, etc), pode haver consequências diretas na produtividade, principalmente devido à qualidade da água.

A deposição de fezes e urina do gado, dependendo da quantidade de animais, pode aumentar consideravelmente os níveis de coliformes fecais e outros microrganismos maléficos ao animal. Com isso, os índices de enfermidade no rebanho aumentam consideravelmente, prejudicando a produtividade.

Alternativas de sistemas para o uso da água

As alternativas para o uso da água em sistemas de produção pecuária exigem a realização de um diagnóstico dos recursos hídricos da propriedade. Posteriormente a este diagnóstico, é necessário que seja realizado um planejamento prévio do melhor sistema de abastecimento e sua distribuição de água para o sistema.

Podemos considerar como uma boa opção o uso de aguadas naturais com o conceito do açude vivo (onde a água entra e sai de forma constante) com direcionamento e acesso dos animais de forma controlada.

Há também os bebedouros artificiais que consistem na captação de água do córrego e canalização até um reservatório de água na pastagem. É importante salientar que para a captação, na maioria das vezes, é necessária autorização do órgão ambiental do município, através da outorga de água.