A morte do Diesel pode estar a caminho?

(Foto: Pixabay)

O Care Diesel, um novo combustível não derivado do petróleo e em fase de desenvolvimento, promete derrubar em 65% as emissões de gases efeito de estufa!

Os finlandeses da Neste, desenvolveram esforços e criaram um combustível especial, composto somente por resíduos, óleo de cozinha reciclado e derivados de petróleo como a graxa. Por enquanto, a empresa Toolfuel é a responsável pela produção e distribuição somente para a Bosch, que testa o produto nas suas máquinas!

Segundo a empresa, o Care Diesel reduz as emissões de CO2 em 65%, comparado com o diesel.

Brasil: consumo de energia deve crescer 2,2% ao ano até 2040

A expectativa está 1,2% /ano acima da média global, diz levantamento do Grupo BP. Então o consumo de energia primária entre 2017 e 2040 saltará de 294 milhões para 485 milhões de toneladas equivalente de petróleo, avanço de 65%, segundo reportagem do Estadão.

Nas energias renováveis, o consumo saltará de 41 milhões para 112 milhões de toneladas equivalentes de petróleo – mais 173%.  A participação do petróleo deverá cair de 40% em 2017 para 34% em 2040. Já o gás subirá de 11% para 15% e as renováveis de 14% para 23%.  O consumo (incluindo biocombustíveis e excluindo hidrelétricas) global deverá aumentar 381% entre 2017 e 2040. A participação total do modelo energético deverá saltar de 4% para 15% do consumo global, acrescenta o relatório.

Na mesma linha, o gás ganhará espaço na matriz energética global (23% de participação em 2017, para 26% em 2040). O derivado do petróleo ocupará parte do espaço do carvão nesta balança, cuja participação no consumo deverá cair de 28% em 2018 para 20% em 2040.

A participação em energia hidrelétrica  cairá de 28% para 23% entre 2017 e 2040. Já o consumo crescerá 2,8% ao ano, com projeção de consumo total 89%
maior em 2040 ante 2017.

No estudo, a matriz energética brasileira em 2040 será dividida entre petróleo e gás (49%) e hidrelétricas e renováveis (46%). “Além disso, o Brasil responde por 23% do aumento da produção mundial de petróleo entre 2017 e 2040, um incremento de quase dois milhões de barris por dia, atingindo cinco milhões de barris por dia”, afirmou, em nota, Mario Lindenhayn, presidente da BP Biocombustíveis e Head of Country da BP Brasil.

ALTA TENSÃO

Economia produzida pelo horário de verão é irrisória

No Sul, a redução no consumo de energia elétrica durante os 105 dias gerou economia de 4.584 MW, suficiente para abastecer 2 mil residências por um ano.

Manchetadas

√ Aneel fará plano emergencial para exigir da Enel melhor prestação de serviço
√ Cemig inaugura usina fotovoltaica de US$ 18,5 milhões
√ Brasil tem maior potencial no mundo em biogás
√ Produção de petróleo no Brasil crescerá mais rápido que a dos EUA até 2040, diz BP