Energia solar pode iluminar Minha Casa, Minha Vida

(Foto: Pixabay)

Tramita na Comissão de Meio Ambiente do Senado, Projeto de Lei 34/2018, que determina que casas populares tenham painéis solares e sistema de captação de água da chuva, para empreendimentos do Programa Nacional de Habitação Urbana, ligado ao Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’.

O projeto exige ainda que os novos empreendimentos contem com medidas de gestão de resíduos sólidos e reúso de águas.

Etanol de milho já tem oito usinas no Brasil e o da Bolívia avança premiado 

Reportagem do DataAgro informa que o Brasil tem oito usinas de etanol a partir do milho. E a estima-se  que até 2021 mais cinco unidades estejam operando, revelou Ricardo Tomczyk, presidente da União Nacional do Etanol de Milho (UNEM).”Com as novas unidades que já estão sendo construídas, devemos saltar para uma produção anual de etanol de 1,6 milhão de metros cúbicos, provenientes do esmagamento de quatro mi tons de milho.” Ele estimativa que a produção brasileira atinja 850 mil metros cúbicos em 2018, a partir do processamento de dois milhões de toneladas do grão, sendo 1,5 mi tons somente do Mato Grosso.

Segundo ele, “uma tonelada de milho resulta em 420 litros de etanol, 300 quilos de DDGs e 18 litros de óleo.”

Biometano

O Brasil é uma potência em transformar biomassa – resíduos de culturas agrícolas, como a cana; dejetos de animais, etc., em energia limpa. “O potencial brasileiro estimado de biometano é de aproximadamente 80 milhões de metros cúbicos por dia, o que equivale ao consumo atual do País de gás natural”, informou o executivo.

Martin A. Mitchell, gerente de desenvolvimento de negócios para as Américas da Clariant, exemplificou a evolução do etanol de segunda geração, apresentando diversas plantas da empresa pelo mundo, mencionando que o Brasil também tem tudo para ser o líder global nesta categoria de biocombustíveis.

Ministro de Hidrocarbonetos e Energia da Bolívia é o Ethanol Man of the Year 

Quem diria, etanol lá faz sucesso mundial e aqui só polêmica. Luis Alberto Sanchéz, ministro de Hidrocarbonetos e Energia da Bolívia,  integra a equipe responsável pela implantação do Super Etanol 92, em vigor no país desde outubro último e que prevê a adição de 12% de etanol anidro à gasolina.“Em cinco anos, a economia da Bolívia cresce em ritmo sustentável e também faz avançar a economia dos países vizinhos.”

“Podemos dizer que existem cerca de 100 países que poderiam ofertar biocombustíveis, que têm capacidade instalada, mas não ainda tecnologia, com a maioria estando abaixo da linha do Equador”, disse. “Para efeito de comparação, cerca de 20 países ofertam hoje gasolina, e Brasil e Estados Unidos respondem por praticamente 85% da produção mundial de etanol, informa Flavio Castellari, diretor executivo do Arranjo Produtivo Local do Álcool (APLA), em palestra na Conferência DATAGRO.”

 

ALTA TENSÃO

√ Cotado para Minas e Energia, Aleluia já presidiu a Chesf

Especulado para assumir o Ministério das Minas e Energia, o baiano José Carlos Aleluia foi presidente da Chesf na década de 1980 e recentemente relator da proposta de privatização da Eletrobras na Câmara Federal. Presidente do DEM na Bahia, não se reelegeu deputado federal.

√ China alerta Bolsonaro contra seguir política econômica dos EUA

Diz a Veja que, em editorial de jornal estatal, Pequim afirma que “custo econômico” de romper acordos com mercados chineses pode ser duro. A China, como se sabe, já tem grande participação no setor elétrico brasileiro e é o maior e mais provável financiador de futuras hidrelétricas no Pará. Que o futuro governo “tropical Trump ” já sinalizou continuidade.

√  Conta de energia elétrica fica mais barata em novembro

Mudança da bandeira vermelha para amarela. A cobrança passa de R$ 5 reais, a cada 100 kwh consumidos diminuirá para R$ 1 real.

Aprovado pelo Senado projeto que garante recursos da indústria do petróleo para pesquisa em energia limpa

A Comissão de Meio Ambiente aprovou o substitutivo ao PLS 696/2015, que obriga que a indústria do petróleo destine percentuais em recursos para a pesquisa e desenvolvimento de energias renováveis. A proposta já recebeu parecer favorável nas comissões de Ciência e Tecnologia (CCT) e Assuntos Econômicos (CAE). Agora segue para a comissão de Infraestrutura (CI) em decisão terminativa.