Muda ministro, aumenta energia elétrica

(Foto: Unsplash)

O novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, já sabe onde o raio pode cair. A MP 814, em tramitação no Congresso Nacional, pode jogar uma conta bilionária no colo dos consumidores de energia. O texto original abria caminho para a venda das distribuidoras controladas pela estatal e revogava um trecho de lei sancionado em 2004, que impedia a entrada no Plano Nacional de Desestatização.

O deputado Julio Lopes (PP-RJ), relator da medida provisória, vai mudar isso por conta própria. O chocante é que as emendas transferem para o consumidor o aumento nos custos com a compra de gás natural por usinas térmicas contratadas às vésperas do racionamento de energia no governo do Fernando Henrique Cardoso. Pode isso Arnaldo?

Cálculos preliminares da Abrace, a associação dos grandes consumidores industriais de energia, apontam que a mudança pode ter um impacto de R$ 2,5 bilhões. Especialistas advertem sobre o risco de um “tarifaço” – especialmente na região Nordeste. O Programa Prioritário de Termelétricas (PPT), criado em 2000, foi responsável pela construção de 21 usinas que somam em torno de 8,8 mil megawatts (MW) de potência instalada. A Petrobras garantia o fornecimento de gás.

Impacto

“O impacto para os consumidores é bilionário”, afirma o ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e presidente-executivo da Abrace, Edvaldo Alves Santana. “O repasse de custos pode representar um aumento de 2% a 3% nas tarifas”.

(Valor Econômico)

 

Alta Tensão

Subsídios geram quase 3% de alta na conta de luz

E o que diz a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Os subsídios ao setor elétrico custarão R$ 18,8 bilhões a mais nas contas de luz em 2018. O impacto nas tarifas será diferentes para os consumidores das regiões do país. No Norte e Nordeste, o impacto será de 0,77% na conta. Já quem mora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste o impacto pode ser em torno de 2,78%.

Brasil está entre os 30 países que mais importam energia solar

De acordo com Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o país atingiu 1 gigawatt (GW), potência suficiente para abastecer 500 mil residências.

A Bloomberg New Energy Finance diz que os investimentos mundiais em energia solar somaram US$ 160,8 bilhões em 2017,  18% a mais que o ano anterior. Dentre as energias renováveis, a solar representa 48% de todo o investimento mundial em energia limpa. Já no Brasil, o investimento no ano passado foi de US$ 6,2 bilhões, alta de 10% em relação a 2016.

Energia interrompida na base de produção da Eletrobras

Nesta segunda-feira (16 de abril) ocorrem paralisações, atos e manifestações em todos os estados. É o Dia Nacional de Luta Contra a Privatização da Eletrobras – defesa do patrimônio público, soberania nacional e segurança energética.

COMPARTILHAR
Walter Santos é jornalista, diretor de tv e especialista em energia.