Painéis solares: como serão em 2019?

(Foto: Pixabay)

A China quer chocar o mercado, eletrizar a concorrência e iluminar o consumo. Aboliu taxas sobre os painéis solares, mudou paradigma das energias renováveis na União Europeia.

Investment Group tem a seguinte perspectiva, publica o portal Energia Renováveis: “A popularidade da energia solar pela Europa tem vindo a aumentar, muito devido à abolição de taxas sobre os painéis solares fabricados na China, taxas que eram aplicadas pela Comissão Europeia. Esta abolição significa que o preço dos painéis solares irá baixar uns 30%, sendo que o mercado será ‘inundado’ pelos fabricantes chineses. O resultado, espera-se que o mercado da Energia Solar europeu aumente cerca de 11300 milhões de euros”.

O grupo também prevê que a capacidade de energia solar por toda Europa ultrapasse os 9,5 GW a 13,5 GW (42,1%) no final de 2019. Números que levam a União Europeia a deter 12% do mercado mundial da energia solar.

Andrius Terskovas, diretor do Grupo, destacou dois países: ” Espanha, comprometeu-se a consumir 100% de energia de fontes renováveis até 2050. A Hungria fez o mesmo… mas pretende abolir o consumo de carvão até 2030!”. Bem ao contrário do Brasil, que ainda investe em usina nuclear, ele tem um recado indiscutível: “Para 2022, o governo alemão planeia acabar com toda a energia nuclear, ao fechar as portas das atuais centrais nucleares no ativo”.

A expectativa é que a luz solar fotovoltaica terá maior participação no mercado e queda nos preços. Quem viver, verá!

Lá fora, manutenção de painel solar pode ser grátis

Trata-se de uma campanha da Cátedra Energias Renováveis, da Universidade de Évora, em Portugal, para instalações fotovoltaicas na Europa com mais de 10 anos de exposição ao sol, no âmbito do projeto GRECO (H2020). Isso impactaria apenas 3% da população de módulos

Seguindo a comparação anterior com a vida humana, isto significa que a população europeia era tal que um em cada quatro europeus tinha menos de 13 anos de idade, e menos de 1 em cada 100 teria atingido a idade da reforma.

Mais informações através do email catedraer@uevora.pt ou na página do projecto GRECO.

Água para armazenar energia

O engenheiro austríaco, Franz Georg Piki, da Universidade Técnica Graz, desenvolveu um inovador sistema que usa água como meio de armazenamento de energia térmica e elétrica. “A TECNOLOGIA PODE SER USADA PARA SATISFAZER 90% DA NOSSA DEMANDA DE ENERGIA”, declarou ele com tremendo otimismo

Como funciona?

Bombeamento e armazenamento de calor utilizando água pura como forma de criar uma usina hidrelétrica reversível de armazenamento de água quente. Através disso, o sistema é capaz de fornecer calor, eletricidade e até refrigeração.

Nos encontramos semana que vem, com muita energia! Até lá e curta nossas publicações, isso nos honra e nos prestigia.