Preparado pro choque? Conta de luz pode subir até 20%

(Foto: Freepik)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prevê reajuste médio acima de 10% este ano. Mas alta pode ser o dobro e superar a casa dos 20%, justificando a falta de chuvas, que levou ao acionamento de usinas térmicas.

Se não bastassem a tempestade, raios podem cair duas vezes no mesmo consumidor. A Aneel autorizou um aumento tarifário médio de 10,36% nas tarifas da Light, que atende a cidade do Rio e outros 30 municípios do Estado. Na Enel Rio, que fornece energia para Niterói e outras 66 cidades fluminenses, a alta, em média, foi de 21,04%..

Empresas como Eletropaulo (São Paulo) e Copel (Paraná), por exemplo vão passar por revisão tarifária e a alta deve ser de cerca de 20% – caso da Cemig (Minas), RGE Sul (Rio Grande do Sul) e Energisa (em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), entre outras.

“Todas as empresas já estão condenadas a um aumento de 2,5 pontos porcentuais por conta dos encargos setoriais. Os subsídios não param de crescer e já têm peso de 20% nas tarifas”, disse Rufino.

“Será uma explosão tarifária”, prevê Abrace

O presidente executivo da Associação de Grandes Consumidores de Energia (Abrace), Edvaldo Santana, disse que o aumento das tarifas será ainda maior para as indústrias, entre 20% e 25%. “Será uma explosão tarifária”, afirmou. “Tivemos um erro brutal de planejamento, com contratação de energia quando não tinha demanda. E o governo e a Aneel não conseguem criar medidas para controlar o crescimento dos encargos setoriais”, afirmou.

Fonte: Agencia Estado/Tribuna/Municipios Baianos

Alta Tensão

Mineração e água: MPF e sociedade discutem contaminação das águas brasileiras por grandes empreendimentos

Citando danos causados pelo rompimento da barragem, promotores e procuradores criticaram o acordo feito entre a empresa Samarco, as suas controladoras e a Advocacia-Geral da União. O chamado “acordão” está com a homologação suspensa na Justiça. Segundo membros do MP, o acordo priorizava a proteção do patrimônio das empresas em detrimento da proteção das populações afetadas e do meio ambiente.

“As questões criminais não são negociadas, os direitos da população também não são”, destacou o procurador da República Paulo Henrique Camargos Trazzi. Ele acrescentou que 21 pessoas foram denunciadas criminalmente por homicídio qualificado e quatro empresas por 12 crimes ambientais. Além disso, o MP busca na Justiça reparação no valor de R$ 155 bilhões. “O desastre não ocorreu só no dia 5 de novembro, mas continua até hoje, afetando a vida e a saúde dos atingidos. Essa destruição decorre de redução de custos nos empreendimentos, que barateia as suas operações sem pensar no que pode acarretar”, pontuou o procurador da República Edmundo Antônio.

Paraná propõe marco regulatório para biogás e biometano 

O Paraná avançará no compromisso que assumiu com a Organização das Nações Unidades (ONU) para um desenvolvimento sustentável. O Estado foi o primeiro estado do mundo a aderir aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, para ampliar o uso de energia renovável e diminuir a emissão de gases do efeito estufa”, disse ele.

Decreto regulamenta lei que incentiva a produção de biocombustíveis

O Brasil é reconhecidamente um dos maiores produtores de biomassa do mundo. Com o RenovaBio, isso vai melhorar ainda mais nos próximos anos. Dados do setor apontam para mais de R$ 1,4 trilhão em investimentos e a geração de 1,4 milhão de postos de trabalho até 2030. No mesmo período, o impulso ao setor deve reduzir em 847 milhões de toneladas de gás carbônico na atmosfera.