2150: Expectativa de vida chegará a 150 anos e a privada vai ajudar

(Foto: Pixabay)

Desde o início do século 20, a humanidade ganha 3 meses de vida a cada ano que passa com os avanços da medicina, os novos remédios e tratamentos, e os cuidados com higiene e alimentação.

“Viver mais, com saúde é o sonho de muita gente”, diz o professor Kenichi Yamakoshi, este simpático cientista japonês, ao lado. O futuro nos reserva muitas coisas interessantes que vão antecipar problemas de saúde, em casa, até na  hora das necessidades. A privada poderá fazer seis exames quando o humano do século 22 sentar nela. Um sensor encostará na perna para medir a pressão, ou a força do  jato da urina, início de câncer de próstata e sinais de infecção. Depois envia o resultado pela internet ou o que estiver valendo em super via virtual, ao médico.

A banheira vai ser mais do que relaxamento. Fará exame, porque tem seis eletrodos e a água funcionará como gel.

Alguns dos principais exames serão feitos enquanto a gente dorme. A cama tem sensores que medem o batimento cardíaco, a distribuição do peso no corpo, a respiração e até o ronco.

No futuro, a cura virá de forma invisível aos olhos. No Centro de Pesquisa de Micromáquinas Médicas da Universidade de Tóquio, só com microscópios dá para enxergar o que  estão inventando.

Os “microrrobôs” ou nanos, poderão entrar no nosso corpo para curar doenças e recuperar tecidos danificados. Os robôs são construídos a partir de uma única gota de um polímero, uma substância química parecida com plástico líquido

De uma única gota, podem ser produzidos 50 robôs ou mais. Em 4 minutos, ficam prontos. O robô é movimentado por um raio laser. Ao empurrar a célula, ele consegue perceber a resistência dela. O professor Ikuta prevê que esse robô será usado em laboratórios para estudar porque uma célula muda seu formato ou porque se torna cancerígena. Em 10 anos, acredita ele, os robôs poderão ser introduzidos dentro do nosso corpo. Vão identificar as células doentes e curá-las.

Um exército de nanorrobôs poderá reparar órgãos ou músculos, como se fossem operários consertando as paredes de uma casa. Outros funcionarão como faxineiros dos nossos pulmões, retirando todas as impurezas que possam provocar doenças. Outro especializado em combater micróbios vai identificá-los e destruí-los.