Incrível: Folhas artificiais realizam fotossíntese

(Foto: Reprodução/ Diário de Biologia)

Imitar a natureza tem se mostrado o melhor caminho para soluções de sustentabilidade, de salvar o planeta e até mesmo colonizar Marte ou a Lua, nosso satélite solitário. Folhas que formam árvores nanotecnológicas que só precisam da TI para dar frutos solares e fotossíntese artificial.

Segundo a bióloga Karilla Patrícia, do site Diário de Biologia, a maior parte do O2 que respiramos vem das produção das algas nos oceanos. As árvores também contribuem muito para oxigenar o planeta, diz ela com razão indiscutível.

Ouso aqui lembrar que podemos respirar melhor com essas maravilhas acadêmicas, mas podemos também aplicar esses experimentos de forma revolucionária na agroecologia. Árvores fontes de energia, uma floresta solar iluminando um mundo novo.

Lá na Inglaterra, essa luz iluminou o estudante de pós-graduação do Royal College of Art, Julian Melchiorri. Ele criou a primeira folha biologicamente funcional capaz de realizar etapas da fotossíntese, com dióxido de carbono, água e luz para liberar oxigênio. Nosso “lâmpadinha” inglês usou proteínas da fibra da seda para desenvolver cloroplastos, que na célula vegetal realiza a fotossíntese.

Além da aplicação nas pesquisas espaciais, da agroecologia e de tantas aplicações, o jovem Melchiorri pensa esteticamente e acha que o material poderá cobrir fachadas dos grandes prédios, melhorando a eficiência energética e gerar O2 para locais controlados.

INCRÍVEL!