Criança: A experiência inesquecível de plantar couve e tomate

(Foto: Jelleke Vanooteghem/ Unsplash)

Confesso que descobri tarde o valor dos alimentos.

Já estava no primeiro ciclo do ensino fundamental quando ganhei algumas sementes e pude plantar tomate e couve no jardim da casa em que morava. Foi uma experiência inesquecível. Todos os dias eu regava aquelas sementes quase invisíveis que, pouco a pouco, foram tomando forma e se transformaram em lindas folhas verdes e carnudos tomates vermelhos.

(Foto: Jametlene Reskp/ Unsplash)

Além de cuidar da pequena horta, tive que descrever a sua evolução. Foram dias inesquecíveis. Do quase nada as pequeninas sementes viraram alimentos, apenas com uma boa terra, sol e água. Não me lembro quantos dias entre a semeadura e a colheita, mas pude conhecer o milagre da terra. Ainda hoje tenho vontade de plantar tomates. Não sei se nas escolas públicas, como no meu Grupo Escolar Theodoro de Morais, eles ainda ensinam as crianças sobre o valor dos alimentos e como plantar e colher. Deveriam.

Nas grandes cidades, nas casas, nos apartamentos não têm terra, nem lugar para plantar.

Acredito que aliados aos computadores, as crianças deveriam ter, pelo menos uma vez na vida, um cachorro e uma horta. Talvez fossem até boas dicas de presentes nas comemorações, como Natal, aniversários e Dia da Criança.

Não me lembro o gosto da couve que colhi, mas jamais esqueci o sabor do tomate. Dia a dia esperei ele ficar vermelho e maduro. Um dia acordei e ele estava pronto. Tirei do pé, lavei, coloquei sal e um pouquinho de azeite. Comi tudinho, com semente e tudo.

Que delícia. Experimente plantar e colher o seu tomate. Nunca mais experimentei um sabor igual aquele…