Chico Bento e Rosinha: inversão dos papeis

(Foto: Reprodução)

Ele ordenhava a Mimosa. Tirava os ovos da Giselda. E ainda ajudava na lida da roça. Já a Rosinha dava um help pro padre e pra professora, quando aparecia trabalhando. A situação que o cartunista Maurício de Sousa descrevia em suas histórias em quadrinhos em nada tem a ver com a realidade.

“Mulheres do Campo- Construindo Autonomia- Experiências de Comercialização” é um estudo que demonstra que, longe da cidade, são elas que pegam na enxada. Produzido pela SOF (Semprevida Organização Feminista), com o apoio de entidades como a Christian Aid, Comissão Pró-Índio de São Paulo (CPI-SP), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) mostra, por exemplo, que a produção do feijão é de responsabilidade delas, que carpem e colhem em pequenas produções, a agricultura familiar, responsável por 70% da produção de feijão no país.

Para modificar esta imagem, a SOF promove neste domingo (19 de junho) um ciclo de atividades chamado “Feminismo e Agroecologia aproximando o campo e cidade”, com a presença de agricultoras do Vale do Ribeira, que participarão de uma roda de conversas a partir das 9h30 sobre suas experiências. Terá feira com produtos orgânico e a exibição do curta-metragem “Semeando Autonomia”, produzido pela Maria Baderna Filmes, às 11h,

Quem estiver em São Paulo, o endereço da Quitandoca, que aonde acontecerá tudo, é Rua Guaicuí, 53, em Pinheiros.

Quem quer ler o estudo pode acessar aqui: http://goo.gl/VX1B3j. Já o curta pode ser assistido aqui: https://goo.gl/lDIait

E, se você, querida e querido internauta, puderem convidar o Maurício de Sousa, agradeço: já está na hora de atualizar as histórias do Chico Bento e da Rosinha.