ESALQSHOW termina com união dos elos do agronegócio

(Foto: Divulgação Esalq/USP)

Durante três dias, membros da academia, profissionais do mercado e lideranças do agronegócio estiveram reunidos no ESALQSHOW – Fórum de Inovação para o Agronegócio Sustentável.

O evento, realizado entre 9 e 11 de outubro, na Esalq/USP, em Piracicaba (SP), proporcionou mais de 24 horas de conteúdo, contou com a presença de 112 painelistas, além de 65 expositores na Feira de Inovação e Tecnologia.

Segundo o diretor da Esalq/USP, professor Durval Dourado Neto, o momento é de fazer um diagnóstico e um prognóstico para o futuro. 

“Nós diagnosticamos que qualquer profissional terá que ter noções de inteligência artificial, big data e internet das coisas. Ao mesmo tempo, somos usuários de tecnologia e os dois grandes players são EUA e China, daí a importância de se ter também, na sua formação, o inglês, que acredito ser suficiente para atender as duas demandas. Mas, para uma pequena parcela, o mandarim seria um diferencial do profissional do futuro”, analisou.

O futuro do agronegócio, com destaque para relação Brasil-China, norteou os temas debatidos no Agtech Valley Summit – O Agronegócio Brasileiro e seus Caminhos. Autoridades do setor público e privado traçaram possíveis percursos a serem desbravados pelo setor até 2030.

A assessora de Relações Internacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Camila Tabet, salientou ainda a importância de valorizar mais o pequeno produtor brasileiro, para que possa ter maior participação na exportação dos produtos nacionais. 

“De 97 a 2018, por exemplo, foram criadas mais de 10 mil empresas, sendo que 40,8% são pequenos negócios. Dessa fatia, apenas 4,2% correspondem a pequenos e médios produtores focados no agronegócio e que, de fato, exportam algum produto. Precisamos reverter esse cenário, que é negativo, pois a maior parte dos produtores rurais no Brasil é de pequenos e médios portes. Temos que dar essa chance para que possam, também, entrar no comércio internacional”, disse.