SEBRAE SP afirma que startups vão trilhar caminho da saúde e boa alimentação

(Foto: Reprodução/ Youtube)

O ONB procurou o Sebrae para entender se nossas startups caminham para o empreendedorismo de resultados, se despertam o interesse de anjos estrangeiros e quais setores se estabeleceram com competitividade. Vale do silício é uma comparação correta para regiões como Piracicaba, Paraná e Mato Grosso?

Nosso entrevistado, Eduardo Soriano, do Sebrae SP, traça um raio-x muito claro e orientador. As Agtechs brasileiras são o motor de um movimento sem volta Acompanhe:

ONB: Fale um pouco da missão do Sebrae com o agro, principalmente com as Startups.

Soriano: O principal objetivo do Sebrae é atuar no apoio e capacitação das micro e pequenas empresas dos estados que representam, além dos MEIs e futuros empreendedores com ou sem negócios desenvolvidos.

Dentro dos mercados existentes, o Sebrae atua com projetos estruturados para o setor Industrial, do Comercio, na Prestação de Serviços e também com o Agronegócio onde,  desde produtores rurais até empresas maiores, são atendidas com soluções de gestão voltada para sua melhoria.

Com o surgimento da inovação como forma de competitividade, novos modelos de negócios surgiram e Startups, que já há mais de 10 anos se estabeleceram nos Estados Unidos e outros países desenvolvidos, o Sebrae não poderia ficar de fora. Em São Paulo, o Sebrae-SP passa a identificar e atender esse público novo, que traz soluções digitais inovadoras nos mais diversos setores e especificamente em Piracicaba, para o agronegócio regional e brasileiro.

ONB: Qual a visão do Sebrae nessa junção Inovação, conhecimento e tecnologia?

Soriano: Em momentos de crise, seja ela de dimensões nacionais ou regionais, o empreendedorismo se destaca como soluções na maioria das vezes. Para que esse impulso empreendedor aconteça, aparece a inovação como grande diferencial no sucesso do negócio.

O conhecimento de gestão e mercado que o Sebrae oferece complementa este cenário. Dentro deste o envolvimento de entidades educacionais pode e deve ser um dos grandes impulsionadores dos negócios, pois está no mundo acadêmico a provocação feita pelo conhecimento e novas oportunidades no mercado. Cito Piracicaba neste caso, por ter a felicidade de contar com a ESALQ-USP, que trouxe empreendedorismo e conhecimento técnico local e regional, considerada entre as 5 maiores escolas de Agronomia no mundo.

ONB: Em que estágio estão as nossas startups comparando-se com outros países?

Soriano: Entendo que os estágios das startups brasileiras são parecidos com os de outros países e já contamos com startups que se tornaram destaque no cenário mundial, como por exemplo as 5 chamadas de “Unicórnios” em 2018: 99, PagSeguro, Nubank, Stone e IFood. O que considero na verdade o ponto a ser analisado é a densidade, pois é ela que irá proporcionar desenvolvimento local, regional ou nacional. Citando o Vale do Silício que teve seu boom, principalmente, pela densidade de empresas e startups nascidas no mesmo local. Acredito que essa densidade representada por certo número de startups, empresas, eventos, estrutura física e apoio acadêmico forte, são os ingredientes para o surgimento de grandes ecossistemas de negócios.

ONB: Fale um pouco da relação Vale do Silício com o piracicabano. A região é o maior polo Agtech do Brasil hoje?

Soriano: A relação hoje está baseada no modelo, ou seja, um polo de novas tecnologias e iniciativas para trazer soluções inovadoras aos problemas do agro. Outro ponto de destaque e semelhança é a descentralização do comando, ou seja, não há uma governança estabelecida, e isso cria uma autonomia de desenvolvimento e crescimento de interdependência de todos. O ponto negativo é, como já havia falado anteriormente, a densidade que acredito nunca chegará ao nível dos USA, mas que chegará nos próximos anos a números relevantes. Existem outros polos de destaque e semelhantes ao de Piracicaba, como é o caso do SRP Valley (Paraná) e o AGRI HUB (Mato Grosso).

ONB: O que te surpreende mais, quais áreas de inovação nesse trabalho de suporte e descobertas com startups?

Soriano: Na verdade, a grande surpresa no contexto agro Nacional, foi Piracicaba se destacar no mundo das startups e suas tecnologias Agtechs, chamando atenção de todo o país, atraindo interesses internacionais. O Sebrae-SP possui um programa chamado Startup SP, voltado para digitais.Durante o ano todo, seleciona e promove desenvolvimento para os projetos inovadores e que estão diretamente relacionados ao mundo digital. Faço aqui um destaque do programa realizado já há 3 anos em Piracicaba, que é o único dentro do SEBRAE-SP que atua com as startups do agronegócio e está diretamente ligado a dinamismo do Agtech Valley, ou Valle do Piracicaba.

O grande envolvimento aqui é que as Agtechs se apresentam para o Programa com um alto grau de conhecimento técnico daquilo que se propõe a fazer, mas com um baixo conhecimento de gestão, Mkt e estratégia. Diante desse cenário o Sebrae-SP passa a ter grande importância na capacitação, orientação e acompanhamento empresarial.

ONB: Começam a chegar investimento para essas startups. Como distribuir esses valores? Qual setor tem maior demanda?

Soriano: Acredito que ainda estamos num estágio que esses investimentos chegam às startups que já estão mais maduras e prontas para atender o mercado, na verdade os olhares dos investidores, bem como o sucesso das startups fazem com que se encontrem. Essa distribuição muitas vezes não se faz de maneira equilibrada, pois ainda processos de recursos para startups são de alto risco e difíceis de localizar. Em termos de setores, como estamos falando de agro, acredito que seja o setor que está e permanecerá em alta por um bom tempo, atendendo as demandas tanto na agropecuária como na agricultura. Ao lado do agro, destaco as fintechs, que são startups relacionadas as operações financeira na WEB, também ganham relevância, as logitechs relacionadas ao problema logístico sem fim do Brasil, e voltando ao agro as FoodTechs, relacionas aos alimentos de um modo geral, gestão, qualidade e logística.

ONB: E para o futuro, o que se planeja? Como você enxerga as startups a partir de 2020, marco de muitas metas sustentáveis como energia, veículos e mudanças climáticas?

Soriano: Acredito que estamos numa fase muito inicial ainda no caso do agronegócio, e isso é bom, pois temos um vasto campo para atuar e gerar negócios novos no agro, só precisamos nos atualizar e seguir neste caminho que os frutos serão colhidos em breve. A conectividade no campo passa a ser uma premissa importantíssima para continuarmos em frente, mas acredito que logo essa condição se estabelece.

O mundo precisa de alimentos, tecnologias e áreas cultiváveis para isso, que estão no hemisfério Sul, e assim o Brasil tem a possibilidade de ser um dos grandes propulsores desse movimento Agtech. Neste movimento citado, mais oportunidades, além das já citadas, estarão disponíveis, principalmente, com os olhares voltados para o meio ambiente, sustentabilidade, energia e cooperativismo. Acredito que ao lado das Agtechs que irão se manter em alta por um longo tempo, teremos o surgimento da nova onda das Startups, que serão chamadas de HealthTech, startups inovadoras para o mundo da saúde/ medicina em geral.

ONB: Quais são suas considerações finais?

Soriano: Fica claro que as startups vieram para ficar, e transformar o mundo dos negócios que jamais será o mesmo e que tem um componente explicito em sua estrutura, a velocidade das coisas. Novas empresas e novos negócios surgirão e morrerão em pouco tempo, e precisamos nos preparar para todo esse mecanismo inovador e rápido.

O Sebrae entra definitivamente neste momento mercadológico já estabelecido e com o surgimento das startups brasileiras, através do seu programa de desenvolvimento chamado Startup SP atua em todo o Estado. Em Piracicaba por estar inserida no que estão chamando de Agtech Valley, se estabelece com o programa Startup SP Agro Piracicaba, promovendo dentro do ecossistema, a validação das soluções Agtech para que passem a atuar dentro do agro brasileiro e mundial.

Para maiores informações ou inscrições no programa acesse os links abaixo, as inscrições se encerram no dia 12/02: 

Inscrição: clique aqui

Edital: clique aqui