Universidade de SP é celeiro de startup Unicórnio

(Foto: Freepik)

Os números impressionam. Das seis empresas brasileiras de base tecnológica com US$ 1 bilhão de valor de mercado, quatro são da USP, segundo a Distrito Applied Innovation, plataforma digital para inovação, que divulgou o relatório Corrida dos Unicórnios 2019, analisando as startups de impacto que alcançaram a marca de US$ 1 bilhão de valor de mercados. Hoje são 314 startups Unicórnio pelo mundo, segundo o CBInsights. Quando o termo surgiu, em 2013, eram 39. No Brasil, até janeiro de 2018, não havia uma única startup bilionária. Em pouco mais de um ano já se contabiliza a 99 Táxi, Nubank, Arco, Ifood, Stone e Gympass.  Dos 14 fundadores educados no Brasil, dez são graduados pela USP.

O portal da Auspin, reporta a rádio USP, contabiliza 1.122 empresas cadastradas, com uma média de 12 empregos gerados por empreendimento. Outro dado aponta que 17% dos estudantes da Universidade, graduação e pós-graduação, possuem CNPJ.

Jovens brasileiros tem Fintech avaliada em US$ 1,1 bi

Reportagem da Forbes conta que, depois de venderem a startup Pagar.me para a Stone, em 2016, Henrique Dubugras e Pedro Franceschi mudaram-se para a Califórnia. Lá captaram investimento e montaram a Brex. A fintech, que fornece cartão de crédito corporativo para startups, teve seu valor de mercado estimado em US$ 1,1 bilhão em outubro de 2018.

Os jovens Henrique, 24 anos e Pedro, 23, foram destaque no Under 30 da Forbes. “Na primeira empresa, éramos muito mais focados em ganhar dinheiro e vender o negócio. Agora que já fizemos isso, nossa vida pessoal e profissional envolve muito mais planejamento e visão de longo prazo.”

Anjo procura startups na Europa com Inteligência Artificial

Uma empresa de venture capital sediada em Londres que usa inteligência artificial para encontrar startups promissoras em toda a Europa disse, hoje (12), que levantou € 53 milhões (US$ 60 milhões) para seu maior fundo até o momento.

A InReach Ventures foi fundada por Roberto Bonanzinga e John Mesrie, ambos anteriormente da Balderton Capital, e Ben Smith, que atuava na ferramenta de trabalho em equipe da Microsoft, a Yammer. Eles investiram em oito startups, desde que foi fundada em 2015.

“Empreendedores podem encontrar empresas em qualquer lugar da Europa, de Helsinque a Barcelona, de Varsóvia a Roma, e muitos ainda não são notados na hora certa”, diz ele, em mais uma boa reportagem da Forbes.  “Como capitalistas de risco europeus, precisamos de uma nova abordagem, que seja distinta e adaptada para lidar com essa fragmentação geográfica e com a realidade econômica. Acreditamos que a única maneira de conseguir isso é por meio de uma abordagem baseada em software, impulsionada pela IA.”

Semana que vem teremos novidades. Até lá e compartilhe o conteúdo deste blog!