Vale mais comprar serviço de empresa ou de startup?

(Foto: Pixabay)

Essa questão já é um ponto importante na definição de um orçamento comercial. Para  Raphael Jacinto, Vice-Presidente da Ewave, as Startups estão ganhando espaço neste setor, com novas empresas especialistas.

Do ponto de vista do executivo, quem precisa adquirir uma solução para o seu negócio pode seguir dois caminhos: Comprar as soluções das grandes empresas ou Comprar de uma Startup.

Mas quem garante que esta startup será auto suficiente dentro de dois ou três anos?   “Para dar mais tranquilidade, as soluções foram trazidas. Esta rede de contatos é constante e, na prática, as empresas do Brasil podem contar com diversas tecnologias de ponta de Israel em uma única solução.” completa Jacinto.

Huawei apresenta dispositivo “Vaca Conectada” em feira em São Paulo

** Por Luciana Almeida

A empresa chinesa Huawei apresentou, pela primeira vez no Brasil, o dispositivo “Vacas Conectadas” para monitorar a atividade das vacas no pasto, otimizar a gestão dos animais e aumentar a produção de leite, durante a Futurecom 2018, o maior e mais importante evento de tecnologia e telecomunicações da América Latina.

Composto por um sensor de movimento, uma bateria e um módulo de comunicação que usa a rede móvel da operadora local, o dispositivo é acoplado por uma coleira no corpo do animal para monitorar constantemente o comportamento da vaca. As informações coletadas são enviadas para um servidor, onde uma plataforma fará a consolidação de todos os dados e criará um perfil individual da rotina diária de cada uma das vacas.

“Por exemplo, quando a vaca entra em período fértil, ela fica mais ativa e essa diferença de atividade no padrão dela, o próprio sistema detecta e gera um alarme para o produtor. Então o produtor terá uma janela de tempo para fazer a inseminação artificial ou juntá-la ao macho”, explicou Marcelo Yamamoto, diretor de estratégia em marketing de IOT, ao ONB.

Segundo Yamamoto, o equipamento tem 95% de precisão para identificar o período fértil da vaca. “É um método menos invasivo e que respeita o ciclo hormonal e natural do animal. Em métodos tradicionais, como o usado na China, a detecção é de 75%. Aqui no Brasil, essa taxa de acerto é de 50% com inseminação artificial”.

Como resultado, há a redução dos custos de mão de obra e o tempo que a vaca fica sem bezerro. Na China, essa tecnologia já é utilizada em mais de 1 milhão de animais conectados e “houve um aumento de 25% na produção de leite, o que representa para o produtor um ganho de $420 dólares por vaca por ano. Em cinco anos, que é o período total de vida útil do dispositivo e mais o período do serviço contratado, os produtores conseguem uma receita adicional de $2.100 dólares por vaca”, explica Yamamoto.

Além do ciclo de reprodução, o dispositivo também ajuda o produtor a fazer o rodízio das pastagens e a saber se o animal sai do perímetro determinado, se a vaca está doente ou pode ter morrido se não houver movimentação e se a coleira foi rompida.

A empresa não tem previsão para iniciar a comercialização do produto no Brasil.

 

Startup cria dispositivo para gerenciar operações agrícolas

** Por Luciana Almeida

A mecanização da produção agrícola revolucionou o agronegócio e aumentou a produtividade. Em 2017, o setor cresceu 13% no Brasil e já representa 23,5% do PIB nacional, segundo dados da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio.

Com o crescimento do mercado, dois amigos viram na otimização dos processos de produção do setor uma oportunidade para empreender e realizar o sonho de ter o negócio próprio.

Assim surgiu a Agriconnected, uma startup que ajuda pequenos e médios produtores a gerenciar operações agrícolas, do preparo ao plantio, por meio de um dispositivo que utiliza IoT, big data e analytics para fazer o monitoramento e manutenção das máquinas agrícolas.

O dispositivo captura informações de trajeto, velocidade, relevo e se o motor está ligado ou desligado. As informações coletadas são enviadas por rede de celular GPRS para a nuvem, onde serão armazenadas em uma plataforma para análise.

Com os dados, o produtor consegue saber onde a operação foi bem sucedida ou não teve tanta eficiência por meio de um mapa de calor, saber qual o problema na área, o custo, quantidades de insumos necessários, entre outros.

“Se o produtor quer fazer uma pulverização, nós fazemos o planejamento e as boas práticas necessárias para aquele tipo de operação. Depois nós monitoramos tudo em tempo real para saber se a operação está sendo realizada de forma eficiente. Se não estiver, nós geramos alertas, que podem ser enviados por SMS ou Whatsapp, para o administrador da fazenda e ele consegue gerar uma ação corretiva e arrumar a operação”, explica Boris Rotter, sócio-fundador da Agriconnected, ao ONB.

Segundo o empresário, o dispositivo funciona em qualquer tipo de máquina,  independente do modelo, do fabricante ou o ano, só precisa ser energizado para começar a funcionar e tem baixa manutenção para o produtor.

A falta de infraestrutura de comunicação também não é um problema, afirma Rotter. Nas regiões onde não há cobertura de celular, a empresa adapta o sistema para utilizar a frequência, disponível, como a de rádio, para conectar o dispositivo.

Para conhecer o trabalho da Agriconnected, acesse: http://www.agriconnected.com/

Startup de assessoria jurídica da comunidade LGBTI+ participa do Startup Show, competição entre projetos de inovação

Com o objetivo de promover a inclusão jurídica, a startup Bicha da Justiça reúne profissionais especializados nas reivindicações LGBTI+ e facilita o contato dos usuários por meio de uma plataforma online 100% segura.

No Brasil, a população LGBTI+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, intersexuais e outras orientações sexuais, identidades e expressões de gênero) está estimada em 20 milhões de pessoas, de acordo com a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

As 27 startups que participam da competição foram escolhidas com a ajuda do Watson, plataforma de inteligência artificial da IBM. Ao final, a grande vencedora receberá como prêmio uma viagem sob medida para o Vale do Silício.

O Startup Show tem o patrocínio da IBM, da AeC, da Robbyson (plataforma de soluções tecnológicas que aplica a lógica dos games na gestão dos negócios), e da Eu Saúde (plataforma de promoção da saúde e do bem-estar).

O apoio vem de Copa Airlines, Free Valorize, Endeavor, Startse, ABStartups, Startupi,  Sucesu Nacional,  Ideia Comunicação, 10K Startups, Fundep,  Techmall S.A, Pequenas Empresas Grandes Negócios e Sebrae.. A realização é da Fill the Blank e i-9.