Todos a bordo!!!

(Foto: Koldeway A.C./ Veja)

As mulheres e seus hobbies, me fez refletir setembro inteiro. Este é o assunto de estreia do meu blog Varanda para o Mar.

Praias, livros sobre o mar, roupas cor de rosa de neoprene… afinal, sobre o que falar?

Mais do falar sobre preferências, eu gostaria que a coluna desse mês tivesse emoção, e que inspirasse aos meus leitores e a mim mesma. Foi ai que me deparei com algumas pessoas muito especiais, que há quase 30 anos provam ao mundo que com planejamento, vontade e coragem é possível transformar sonhos (independentemente de seu tamanho) em realidade.

Mais ou menos na metade da década de 1980 Vilfredo e Heloísa Schurmann se lançaram ao mar, carregando sonhos, coragem e os 3 filhos, ainda crianças. O hobby se tornou modo de vida e dez anos depois, eles retornavam ao Brasil com o título de primeiros brasileiros a darem a volta ao mundo em um veleiro.

Chegaram em Florianópolis em 1994, e em 1997 já estavam no mar novamente, para refazer a rota do navegador português Fernão de Magalhães. Esta viagem recebeu o nome de Magalhães Global Adventure e levou uma nova tripulante para a aventura, a pequena Kat, na época com 5 anos. Esta expedição terminou em 22 de abril de 2000, em Porto Seguro, e fez parte das comemorações oficiais pelos 500 anos do Descobrimento do Brasil. Com esta viagem, os Schurmann se tornaram os primeiros brasileiros a darem a volta ao mundo em um veleiro por duas vezes.

Agora, 21 de setembro de 2014, os Schurmann se lançam novamente ao mar, estimulados pelo livro 1421 – O Ano em que a China descobriu o Mundo, de Gavin Menzies. O livro mostra evidências de que os chineses deram a volta ao mundo, e chegaram nas Américas, antes que Cristóvão Colombo.

Essa informação foi suficiente para colocar os Schurmann em ação novamente e criarem a Expedição Oriente, que irá percorrer mais de 30 mil milhas náuticas, visitando: Argentina, Chile e Uruguai, na América do Sul; Austrália, Nova Zelândia e Papua Nova Guiné, na Oceania; China, Indonésia, Japão, Singapura e Vietnã, na Ásia; e África do Sul, Madagascar e Maurício, na África, além de passar pela Antártica e dezenas de outras localidades, antes de seu retorno ao Brasil, programado para dezembro de 2016.

(Foto: Reprodução/ Facebook Família Schurmann)

Na terceira expedição de volta ao mundo, a família resolveu deixar os veleiros Guapo e  Aysso de lado, e construir uma embarcação nova, cheia de inovações, para o novo desafio. Além de instrumentos de navegação de ponta, a nova casa dos Schurmann gera a sua própria energia, por meio de geradores eólicos, hidráulicos (que aproveitam o movimento do barco na água para gerar energia) e de duas bicicletas ergométricas ligadas a turbinas, que além de ajudar os tripulantes a se exercitarem, recarregam as baterias do barco. Outro fato muito especial nesta nova embarcação é o seu nome. Batizado de KAT, o veleiro homenageia (e leva para a viagem) a Kat, que deixou os Schurmann em 2006.

Mas estas não são as “únicas” novidades da expedição. A partir do dia 21 de setembro, assim que o Kat zarpou de Itajaí/SC, a equipe de velejadores deu a oportunidade de todos nós deixarmos de ser expectadores para nos tornarmos parte desta jornada. Pelo site da aventura, é possível acompanhar o cotidiano dentro da embarcação, meio de vídeos, fotos e podcasts, atualizados em tempo real, e também participar de um Game, em que cada um de nós pode criar um veleiro, escalar uma tripulação e atravessar os mares, testando conhecimentos de história e geografia.

Neste vídeo, é possível ver (e sentir de perto) um pouco da emoção e da motivação desses grandes navegadores

Vamos embarcar com eles? Acesse o site e conheça toda a expedição: http://www.expedicaooriente.com.br/por

Eu já estou lá na cabine de comando, ao lado do Capitão…