LEILÃO, USINAS SOLARES E CONTAMINAÇÃO

(Foto: Reprodução)

É preciso leilão para o Sol energizar o Brasil 

Trinta novos projetos de geração de energia elétrica, a partir da fonte solar fotovoltaica, com capacidade instalada total de 1.043,7 megawatts-pico (MWp) foram contratados no Leilão realizado nesta sexta-feira (28), pelo governo federal.

As usinas serão instaladas nos estados de Bahia (12), Minas Gerais (5), Paraíba (3), Piauí (9), Tocantins (1), e os investimentos previstos são da ordem de R$ 4,341 bilhões.

No Leilão de Energia de Reserva de 2014 foram contratados 31 projetos, totalizando mais de 1.000 MWp de potência instalada, representando um importante passo para a viabilização da fonte solar.

Na reserva mais badalada do País, o sol finalmente energiza a ilha. Fernando de Noronha é abastecida com uma térmica movida a diesel. Mas a usina solar Noronha I ganhou uma segunda unidade solar, que vai aumentar em 10% a produção de energia solar. Isso representa 400 mil litros menos de diesel queimado por ano.

 

Japão troca campos de golfe por usinas solares

Ao invés dos milionários dando tacadas em gigantescos greens, parques de energia solar aproveitando antigos campos de golfe abandonados.

O parque da Kyocera constrói uma usina solar com capacidade para produzir 26.312 megawatts-hora (MWh) de energia por ano – suficiente para abastecer, em média, cerca de 8100 domicílios. E a empresa ainda pretende construir um parque ainda maior, usando um campo de golfe abandonado de dois milhões de metros quadrados, que irá produzir cerca de 99,230 MWh.

Já a Pacifico Energy irá construir um parque elétrico, com previsão de entrega para o segundo trimestre de 2016, com capacidade de produção de 42 megawatts.

O Ministério Público Federal vai notificar a Indústrias Nucleares do Brasil para que apresente todos os relatórios de monitoramento de solo, água e ar realizados nas áreas afetadas pelas atividades de exploração de urânio. A estatal atua na única mina de urânio em operação na América Latina, na zona rural de Caetité, na Bahia.

 

Contaminação radioativa na Bahia 

O MPF também oficiou a prefeitura de Lagoa Real, onde foi constatado o poço contaminado com alto teor de urânio, para que apresente um mapeamento completo dos poços do município. Neste mesmo ofício foram incluídas a Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).

O material coletado será encaminhado para exames em laboratórios em São Paulo, para verificar o teor de urânio e outros metais pesados encontrados na água. A prefeitura informou à Agência Estado que soube da contaminação do poço em Varginha quando a INB foi à prefeitura, no dia 22 de maio e entregou os dois laudos de inspeção. Uma nova reunião sobre os temas foi agendada pelo MPF para o dia 20 de outubro.