Brasil adverte contra marginalização dos países mais pobres na COP 24

(Foto: Divulgação)

“O que deve ser evitado a todo custo é que os países em desenvolvimento sejam postos de lado ou apresentados com textos ‘pegar ou largar’, disse J. Antonio Marcondes, principal negociador do Brasil na cúpula.

Em uma declaração conjunta, países em desenvolvimento com menos recursos reforçaram a importância de ajuda financeira de países desenvolvidos para conseguirem se adaptar às mudanças climáticas.

“Estamos muito certos de que não vamos renegar nosso compromisso – faremos o que for necessário”, disse AK Mehta, principal negociador da Índia.

O país se comprometeu a aumentar a produção de energias renováveis, expandir as florestas e gerar menos emissões. Segundo o Instituto para Economia da Energia e Análise Financeira, a Índia deve atingir duas das três metas antes de 2030.

O alerta acontece em um momento que um novo estudo aponta o aumento das emissões globais de dióxido de carbono (CO2) em 2,7% entre 2017 e 2018, o que coloca as metas do Acordo de Paris ainda mais fora do alcance dos países.

** Com informações da Reuters