COP 24 começa com pedido de união entre países pela economia verde

(Foto: Divulgação)

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres pediu que governos e investidores apostem “em economia verde, não pelo cinza da economia carbonizada”.

E ressaltou a necessidade de “mobilizar recursos o mais rápido possível para diminuir o avanço da mudança climática: “não estamos fazendo o suficiente para capitalizar as enormes oportunidades”, lamentou.

Estima-se que cerca de 75% da infraestrutura necessária para ter uma economia limpa em 2050 ainda precisa ser construída. “Mas para conseguir isso é preciso eliminar os subsídios aos combustíveis fósseis”, disse Guterrez.

Em seu discurso, o presidente da Polônia, Andrzej Duda,afirmou que a geração de energia com carvão, que representa 80% da matriz energética, não está em conflito com a necessidade de combater a mudança climática e que o país não desistirá do uso do carvão.

O presidente destacou que o país reduziu as emissões de carbono em 30% nos últimos 30 anos, “enquanto mantém o crescimento econômico”, e que pretende chegar a 60% até 2030 e a 30% até 2040.

A COP 24 acontece até 14 de dezembro e reúne 30 mil pessoas de 197 países para encontrar soluções para implementar o Acordo de Paris.

O presidente da Conferência, Michal Kurtyka, afirmou que os países não devem esquecer os motivos da cúpula e ressaltou que “nenhum governo sozinho pode resolver este problema. É hora de ‘dar vida’ ao conteúdo do Acordo de Paris”.

** Com informações do Ministério do Meio Ambiente e da Agência Brasil