Rascunho do relatório da  COP 21

Nesta quarta-feira (9/12), um novo rascunho foi divulgado por Laurent Fabius, ministro das Relações Exteriores francês e presidente da conferência da ONU. O texto está com 29 páginas (no último sábado eram 48) e 75% a menos colchetes – sinais adotados nas negociações para indicar os pontos sem consenso entre as delegações. Ou seja, os representantes de governos presentes na reunião, ao que tudo indica, estão diminuindo os impasses.

Segundo o Greenpeace, um tema que parece estar assegurado no rascunho é o tempo do ciclo de revisão do futuro acordo, para que os países revisem as metas a cada cinco anos.

Laurent Fabius reconheceu três pontos em conflito: a diferenciação entre as responsabilidades que serão assumidas entre países ricos e pobres, a ambição do futuro pacto e a transferência financeira para a mitigação e adaptação ao aquecimento nos países em desenvolvimento.