Mulheres na COP22

(Foto: Reprodução/ Twitter COP22)

A sexta-feira foi feminina na COP22, no Marrocos.

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, que também é chefe do C40 – o Climate Leadership Group Cidades, presentou a iniciativa Women4Climate.

Anne Hidalgo lembrou que o Acordo de Paris foi em grande parte provocada pelos esforços incansáveis de mulheres como Laurence Tubiana. “As mulheres será essencial para torná-lo uma realidade em nossas cidades. Estudo após estudo mostrou que as mulheres são as mais vulneráveis [às mudanças climáticas] e é por isso que existe a necessidade de uma liderança forte sobre esta questão com excelentes modelos”.

El Haite falou sobre como “As mulheres são as primeiras vítimas da mudança climática, mas também são atores em circulação da mudança.” Ela disse que “não se pode ignorar 50% do mundo, se você quiser desenvolver todo o mundo.” El Haite tem vindo a defender suporte de Marrocos das mulheres na liderança climática e ação climática, mesmo apresentando em Washington, DC, no início deste ano com Hidalgo.

A COP 22, em Marrakesh, dá voz para as delegações africanas. Ketcha-Courtes, chefe da rede da África, fundada em Tânger, disse: “As mulheres africanas são os gestores naturais de tudo. Estamos prontos, estamos em ação! Vamos fazer as metas Acordo de Paris uma realidade.”