Autoridades reagem ao resultado negativo da COP 25

(Foto: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados)

A 25ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 25) terminou, no último domingo (15), após os países estenderem as negociações para chegar a um acordo comum. A discussão sobre a regulamentação do mercado de carbono foi adiada para 2020.

O presidente Jair Bolsonaro criticou a cobrança internacional sobre as políticas ambientais brasileiras. “Eu quero saber: alguma resolução para a Europa começar a ser reflorestada? Alguma decisão ou só ficam perturbando o Brasil? É um jogo comercial”, disse na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro ainda afirmou que não aceitou que a COP 25 fosse realizada no país porque “estariam fazendo um carnaval aqui no Brasil”.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse estar desapontado com os resultados da COP 25. Segundo ele, “a comunidade internacional perdeu uma importante oportunidade de mostrar maior ambição para mitigação, adaptação e financiamento no enfrentamento à crise climática”.

Guterres ressaltou que não irá desistir de que “2020 seja o ano em que todos os países se comprometam em fazer o que a ciência nos diz ser necessário para alcançar a neutralidade do carbono em 2050 e um aumento de temperatura que não esteja acima de 1,5 grau”.

** Com informações da Agência Brasil e do Estadão