Governadores da Amazônia Legal apresentam estratégias na COP 25

(Foto: Gilberto Ubaiara/ Secom Governo Amapá)

Os governadores dos estados que compõem a Amazônia apresentaram, na Cúpula do Clima da ONU (COP 25), as estratégias do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal para financiar o desenvolvimento econômico da região com baixas emissões.

O Consórcio Interestadual da Amazônia Legal é um acordo que incentiva a implantação de políticas públicas para a exploração e o desenvolvimento sustentável nos nove estados que compõem a Amazônia: Acre, Amazonas, Pará, Tocantins, Maranhão, Roraima, Rondônia, Mato Grosso e Amapá.

O governador do Amapá, Waldez Góes, afirmou que “2020 será um marco para os serviços ambientais que garantem uma floresta em pé” e que é necessário consolidar as estratégias para que os Estados da Amazônia tenham receptividade da comunidade internacional.

Góes, que é presidente do Consórcio, entregou ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, uma declaração conjunta de governadores, deputados e senadores da Amazônia em que se comprometem com o Acordo de Paris e a comunidade internacional.

“Com o Acordo de Paris, temos uma promessa de US$ 100 bilhões ao ano a serem investidos na política ambiental em toda a Amazônia. Assim, reivindicamos junto aos demais estados e países uma agenda que possa fazer valer esse compromisso com as metas climáticas, destacando a valorização dos povos indígenas e a bioeconomia”, disse.

O governador do Amapá também defendeu que os estados também recebam diretamente os recursos de US$500 milhões do Fundo Amazônia para financiar projetos sustentáveis na região, caso não haja acordo entre os países doadores e o governo federal.

** Com informações do governo do Amapá