BACALHAU POR UM FIO, MAS NÃO É DE AZEITE!!!

Relatório da Convenção da Nações Unidas para Mudanças Climáticas (UNFCCC), aponta que o aquecimento global de 2,7% terá impacto direto sobre os cardumes de peixes, e o bacalhau faz parte do menu desastroso, temperado com as emissões de CO2. A revista científica Science revela como o aquecimento das águas do Golfo do Maine, na costa Nordeste americana, tem relação direta com o desaparecimento do bacalhau em New England, nos Estados Unidos, por causa das correntes geladas que sofrerão aquecimento acima do suportável para a população de bacalhau na região, que já estava 97% abaixo do nível considerado sustentável pelos biólogos americanos.

Esta é a primeira vez que os pesquisadores conseguem ligar o aumento das temperaturas ao desaparecimento do peixe, com dados e medições concretas, entre seis instituições diferentes: Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (Noaa, na sigla em inglês), a Universidade do Maine e o Instituto Salk para Estudos Biológicos, analisou dados sobre a temperatura da superfície da água desde 1982. As conclusões mostraram que, entre 2004 e 2013, as águas Golfo do Maine esquentaram mais rápido que 99,9% dos oceanos do planeta, conforme publicado na Veja.

bacalhau

Science mostra que, se as emissões de gás carbônico continuarem no mesmo ritmo, levando a um aumento de até 4,3 graus de temperatura em 90 anos, uma em cada seis espécies de animais e de plantas deve ser extinta. Caso os esforços globais de mitigação surtam efeito e consiga-se limitar o aquecimento a apenas dois graus até o fim do século, o risco passaria a ser 10% menor.

saiba mais