Paraíba e PNUD se unem para promover Agenda 2030

(Foto: FIEP)

O Sebrae Paraíba, o Instituto Alpargatas, a Universidade Federal da Paraíba, a Federação das Indústrias da Paraíba e a Federação das Associações de Municípios assinaram um acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para promover e disseminar a importância da Agenda 2030, nesta quarta-feira (15).

O objetivo é construir políticas públicas, que impulsionem o desenvolvimento da Paraíba em seus aspectos econômicos e sociais, e alinhar as atividades dos setores público e privado para alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

“É o ponto de partida para que façamos a decolagem para um novo tempo. É a largada para o desenvolvimento que possibilitará gerar mais empregos e renda na Paraíba. Queremos fazer muito mais, com menos água. Fazer tudo com dedicação, empenho e consciência”, afirmou Francisco de Assis Gadelha, presidente da Federação das Indústrias da Paraíba.

Para o superintendente do Sebrae da Paraíba, Walter Aguiar, a gestão eficiente dos recursos hídricos de uma determinada região impacta diretamente no ambiente de negócios local.

“Discutimos uma agenda estratégica, na qual a gestão dos recursos hídricos é o tema principal para o desenvolvimento. Apostar na sustentabilidade é bom para o planeta, para as comunidades e também para os negócios”, disse.

Segundo dados da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), 40 cidades paraibanas decretaram colapso total de abastecimento de água por causa da seca e 117 municípios estão em racionamento.

A iniciativa também será incorporada nas escolhas da rede pública pelo Instituto Alpargatas, que atuará tanto com alunos e professores, quanto com gestores que atuam diretamente na área de educação.

“É de extrema importância essa parceria para a disseminação dos ODS. Entendemos que a educação é a forma mais concisa e importante de chegarmos a todos os públicos. Com a colaboração de todos os envolvidos nas atividades de educação, conseguiremos potencializar a disseminação da nova agenda”, disse Berivaldo Araújo, diretor executivo do Instituto.

** Com informações do PNUD