EMOÇÃO define cerimônia de abertura da Paralimpíada

Foto- CPBoficial

A cerimônia da abertura das Paralimpíadas Rio 2016 pode ser definida como um desfile de sensibilidade, superação, emoção, alegria de viver, inclusão e transformação.

foto- CPB
foto- CPB

Quem assistiu, com certeza, chorou ou ficou com nó na garganta quando viu as crianças do Projeto Bota no Mundo, pais que levam seus filhos deficientes “andando” numa bota que permite as crianças jogar futebol. Ninguém sabia que existia esse projeto, iniciado por um pai que bolou a bota para fazer seu feliz. Puxa, que exemplo! A emoção dos atletas fotografando e cumprimentando as crianças… Impossível não se emocionar.

Outro momento de extrema emoção e superação foi no final do revesamento da tocha paralímpica. Dentro do Maracanã, Márcia Malsar, primeira atleta paralímpica do país a conquistar uma medalha de ouro no atletismo, na prova dos 200m rasos, com paralisia cerebral. Muito emocionada, ela se desequilibrou e caiu com a tocha. Amparada, levantou,e o estádio se curvou em aplausos. SUPERAÇÃO.

Foto - Reuters (G1)
Foto – Reuters (G1)

A delegação brasileira fez a festa, foi ovacionada e vai trazer muitas medalhas. O principal é fazer que toda nação reflita como deixar as cidades mais inclusivas, como fazer políticas públicas para atender esses milhões de cidadãos com algum tipo de deficiência.

Os jogos paralímpicos nos reserva muitas histórias de inclusão e momentos de superação.

br-andre-durao-g1