16 de novembro: Dia Internacional da Tolerância

(Foto: ONU/ Mark Garten)

Criada em 1996 pela Assembleia Geral da ONU, a data promove a liberdade de todos os cidadãos e fomenta a tolerância, o respeito, o diálogo e cooperação entre diferentes culturas, religiões, povos e civilizações.

Entende-se por Tolerância, o ato ou a capacidade de suportar algo, é a atitude liberal de quem reconhece aos outros o direito de manifestar opiniões ou revelar condutas diferentes das suas ou até opostas a elas.

A ONU lista cinco requisitos para combater a intolerância:

1 – Ter uma legislação contra discriminação: “Os governos devem impor leis de direitos humanos, proibir crimes e discriminar minorias, independentemente de serem cometidas por organizações privadas, públicas ou privadas”.

2 – Investir em educação: “É necessário enfatizar a educação e ensinar tolerância e direitos humanos às crianças para incentivá-las a ter uma atitude aberta e generosa em relação à outra”.

3 – Garantir o acesso a informação: “A intolerância é especialmente perigosa quando indivíduos ou grupos de indivíduos usam isso para fins políticos ou territoriais. Eles identificam um objetivo e desenvolvem argumentos, falácias, manipulam fatos e estatísticas e reside na opinião pública com desinformação e preconceito. A melhor maneira de combater essas políticas é promover leis que protejam o direito à informação e à liberdade de imprensa”.

4 – Promover a consciência individual: “A intolerância na sociedade é a soma das intolerâncias individuais de todos os seus membros. Todos devemos nos perguntar: sou uma pessoa tolerante? Eu julgo outros com estereótipos? Rejeito aqueles que me parecem diferentes?”.

5 – Desenvolver soluções locais: “Os problemas que nos afetam são cada vez mais globais, mas as soluções podem ser locais, quase individuais.  Todos somos parte da solução e temos enorme força quando enfrentamos intolerância”.

** com informações da ONU