Leis brasileiras de agroecologia são indicadas a prêmio internacional

(Foto: Unsplash)

Seis leis brasileiras de agroecologia concorrem ao Prêmio da Política do Futuro 2018: Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica no Brasil (PNAPO); o Programa de Produção Integrada de Sistemas Agropecuários (PISA); o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE); Programa Ecoforte Redes; a Política Estadual de Agroecologia e de Produção Orgânica (PEAPO-MG); e o Marco Legal para Inserção de alimentos Orgânicos nas Escolas (SP).

A iniciativa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), do World Future Council e da IFOAM dissemina políticas públicas eficazes para o desenvolvimento da agroecologia.

Nos últimos anos, a demanda por produtos orgânicos no país aumentou. Cerca de 15% dos brasileiros já consomem orgânicos, de acordo com pesquisa do Conselho Brasileiro de Produção Orgânica e Sustentável (Organis).

No ano passado, o faturamento do setor de alimentos alcançou R$3,5 bilhões no mercado interno e mais de US$210 milhões em exportações. A expectativa é que, neste ano, os segmentos cresçam 20%, segundo projeção do Organis.

Além do Brasil, estão indicadas ao prêmio leis da Dinamarca, Índia, Cuba, Itália, Argentina, Bolívia, Etiópia, Filipinas, Espanha e Venezuela.