Política de redução de agrotóxicos avança na Câmara

(Foto: FAO)

Apesar de obstruções de parlamentares ruralistas e do cancelamento da votação várias vezes, a proposta da Política Nacional de Redução de Agrotóxicos (PNARA) foi aprovada na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. O texto segue para o Plenário.

O PL 6670/16, de autoria do deputado Nilto Tatto, pretende viabilizar a adoção de modelos agroecológicos e menos dependentes do uso de defensivos para o controle de pragas.

O projeto prevê a criação de zonas de uso restrito e zonas livres de agrotóxicos, principalmente, perto de escolas, recursos hídricos e áreas ambientalmente protegidas, e a proibição do registro de insumos classificados como “extremamente tóxicos”.

O texto sofreu grande oposição da bancada ruralista, que tentou atrasar a votação. O deputado Valdir Colatto apresentou um relatório alternativa para evitar “insegurança e travas” à agricultura convencional e disse que a PNARA será derrotada no Plenário da Câmara.

“É preciso fazermos um acordo para preservar tanto a agricultura orgânica quanto a questão dos defensivos, da biotecnologia. É uma utopia acharmos que as pessoas vão trabalhar só com agricultura orgânica”, comentou o parlamentar.

** Com informações da Agência Câmara de Notícias