União Europeia terá nova lei de redução de resíduos e sustentabilidade

(Foto: Pixabay)

O comissário ambiental da Comissão Europeia, Virginijus Sinkevicius, anunciou a introdução de novas metas de redução de redução e leis de sustentabilidade para garantir a venda de produtos recicláveis, reparáveis e projetados para durar mais tempo.

As novas regras integram o novo plano do bloco de reduzir pela metade o lixo até 2030, proibir a destruição de bens duráveis não vendidos e restringir a obsolescência prematura e de uso único dos produtos, principalmente, dispositivos eletrônicos.

O novo plano ainda prevê a restrição de microplásticos adicionados intencionalmente e a obrigatoriedade de conteúdo reciclado e redução de resíduos.

A Comissão ainda irá propor um novo quadro regulamentar para as baterias e a embalagem, eliminando progressivamente as pilhas não recarregáveis ​​e limitando os resíduos de embalagens.

O plano precisa ser aprovado pelos estados membros da União Europeia (UE) e do Parlamento Europeu.

Indústria

A UE vai lançar um projeto para produzir hidrogênio limpo para substituir os combustíveis fósseis, a partir de uma “aliança” público-privada. A iniciativa deve seguir o modelo de um projeto de bateria de 8,3 bilhões de euros.

O objetivo é ajudar empresas europeias a manter uma vantagem competitiva nos mercados globais e orientar a indústria em direção à meta do bloco de zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa até 2050.

O hidrogênio é apontado como uma alternativa de combustível para carvão ou gás, além de poder reduzir as emissões em setores difíceis de descarbonizar, como o aço.

Os projetos piloto podem custar entre 20 e 80 milhões de euros, o preço das versões em escala comercial começa em centenas de milhões de euros.