Acordos com Alemanha beneficiam biomas Amazonia e Cerrado

A chanceler alemã Angela Merkel, que visita o Brasil com 10 ministros, focou boa parte de seu interesse comercial nos recursos para o Meio Ambiente. Ao todo, os investimentos totalizam 54 milhões de euros.

Na abertura da Conferência Florestas, Clima e Biodiversidade, a Alemanha assinou convênios no intuito de promover a conservação e a regularização ambiental de imóveis rurais na região da Amazônia e em áreas de transição para o Cerrado.

(Foto: Blog do Planalto / Divulgação)
(Foto: Blog do Planalto / Divulgação)

Autoridades alemãs também selaram acordo com o governo da Noruega que irá beneficiar o Fundo Amazônia, que capta recursos para investimentos não-reembolsáveis em iniciativas de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e de conservação e uso sustentável do bioma. Entre as áreas de atuação, estão projetos como os de gestão de áreas protegidas, de manejo florestal e de redução de emissões de gases que causam o efeito estufa.

O Fundo Amazônia tem a intenção de incrementar o Fundo Amazônia e torná-lo mais eficaz levou o governo da Noruega, por meio da Agência Norueguesa para Cooperação ao Desenvolvimento (Norad), e o governo da Alemanha, por meio do BMZ, a firmarem acordo para a liberação de R$ 14,6 milhões.

O programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), é a maior ação de conservação de florestas tropicais do mundo, chega à terceira fase com a garantia da cooperação ambiental entre Brasil e Alemanha.

O MMA, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e o Ministério Alemão para Cooperação e Desenvolvimento (BMZ) disponibilizarão R$ 116 milhões para o Fundo de Transição Arpa para a Vida, que vai funcionar como um financiamento sustentável de unidades de conservação em uma área igual ou maior que o território da França (cerca de 60 milhões de hectares).