Advocacia-geral cria força tarefa contra crimes ambientais

(Foto: Pixabay)

A Advocacia-Geral da União (AGU) criou uma força tarefa para atuar nas ações judiciais contra desmatamentos, queimadas e outros crimes ambientais na Amazônia. É uma tentativa de endurecer o cerco às queimadas e aos desmatadores.

O foco inicial do grupo será 12 ações que cobram R$206 milhões de grandes desmatadores. A força-tarefa terá 20 pessoas e atuará por 6 meses, mas o prazo poderá ser prorrogado.

As atribuições da força tarefa inclui acompanhar “demandas que postulem indenizações ou obrigações relacionadas à reparação de dano ambiental na Amazônia Legal, decorrentes ou não de autos de infração”.

Entre janeiro e agosto, foram emitidos alertas de desmatamento sobre 6,4 mil km² da Amazônia e 46,8 mil focos de queimadas, um aumento de 91,9% e de 111,2%, em relação ao mesmo período do ano passado, respectivamente.

Entretanto, fiscais do Ibama aplicaram 23% menos multas na Amazônia Legal por crimes contra a floresta e a biodiversidade.

** Com informações do G1