Advocacia-Geral da União cobra R$555,3 milhões em multas ambientais

toras de madeira, árvores desmatadas, desmatamento
(Foto: Pixabay)

A Advocacia-Geral da União (AGU) ajuizou 16 ações civis para cobrar R$555,3 milhões de grandes desmatadores em quatro estados da Amazônia Legal: Rondônia, Mato Grosso, Amazonas e Pará.

As ações envolvem 33 réus e têm base em 25 autos de infração emitidos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), pelo desmatamento de 26.490 hectares na região amazônica.

O Pará é o estado o maior número de reparações com R$350 milhões. Seguido pelo Amazonas, (R$170 milhões), Mato Grosso (R$23,41 milhões) e Rondônia (12,26 milhões).

Criada em setembro, a força-tarefa “Defesa da Amazônia” pretende obrigar os desmatadores a reflorestar as áreas desmatadas.

A coordenadora nacional da força-tarefa, Renata Cunha, também defende que os responsáveis pelas irregularidades ambientais promovam também a chamada reparação in natura, para reparar total dos danos, além de indenizações.

** Com informações da Agência Brasil