Agosto tem o triplo de queimadas na Amazônia

floresta pegando fogo, queimadas
(Foto: Pixabay)

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 30.901 focos de queimadas na Amazônia em agosto, número quase três vezes superior ao índice de 2018.

Os focos de incêndios também superaram em 20% a média histórica do mês registrada desde 1998. A partir de 2011, o índice vinha seguindo uma tendência de registros abaixo da média histórica.

Com exceção da Caatinga, todos os biomas registraram alta em número de queimadas em relação a agosto do ano passado. A Amazônia contabilizou 46.825 focos, 51% do total, seguida pelo Cerrado, com 12.906 focos, 61% a mais que os registrados em agosto.

Segundo especialistas, as queimadas na Amazônia são a parte final do processo de desmatamento. A maioria das áreas é preparada para pastos.

Paraguai

O Instituto Florestal Nacional do Paraguai (Infona) informou que os grandes incêndios já devastaram 61.320 hectares, próximos à fronteira do Brasil.

Cerca de 47.333 hectares foram devastados no Pantanal paraguaio e 13.896 hectares no Cerrado.

** Com informações do UOL