Amazônia pode se tornar Vale do Silício da biodiversidade

(Foto: Unsplash)

A tecnologia pode transformar a Floresta Amazônica no “Vale do Silício da biodiversidade”, defendeu Renata Puchala, gerente de sustentabilidade e impacto social da Natura, durante o Singularity Brazil Summit 2019, que aconteceu em São Paulo.

De acordo com Puchala, big data, drones, satélites e sensores conseguem otimizar e tornar mais eficiente o uso de recursos naturais da floresta, além de tornar mais fácil inovar e procurar novas soluções.

Apesar da Amazônia Legal ter esse grande potencial, Renata ressaltou que a Amazônia ainda é ameaçada pela cultura extrativista, como a pecuária, a extração da madeira, a plantação de soja e a mineração.

No entanto, ela acredita que uma estratégia mais sustentável para a exploração da floresta só será possível, se o governo federal também se envolver. “Temos de criar um ecossistema próspero, interligando todos os stakeholders na causa. É fundamental para não perdermos o timing da inovação”, afirma.

** Com informações da Época Negócios