Áreas protegidas estão ameaçadas exploração mineral

(Foto: Pixabay)

No Brasil, existem cerca de 5.675 processos ativos de exploração mineral que ameaçam total ou parcialmente terras indígenas e unidades de Conservação de Proteção Integral da Amazônia Legal, revela levantamento inédito da WWF Brasil.

O estudo identificou que os pedidos de exploração de áreas restritas a esse tipo de atividade não foram bloqueados conforme prevê a lei. A proibição alcança apenas 24% das Unidades de Conservação de Proteção Integral federal, 46% das UCs estaduais, e 76% dos títulos nas terras indígenas.

Os processos em andamento, segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), responsável por autorizar a atividade mineral no país, se referem desde requerimentos para pesquisa até autorização de lavra de minérios.

Nas áreas não restritivas, o número de títulos e processos minerários passa de 17 mil. Em relação as unidades de proteção integral, o documento alerta que “a existência de pedidos de pesquisa e autorizações de lavra, ainda que oficialmente bloqueadas, representam um risco potencial”.

** Com informações da Agência Brasil