BHP é processada na Austrália por desastre em Mariana

(Foto: Felipe Werneck/ Ascom/ Ibama)

A mineradora anglo-australiana BHP Billiton foi notificada judicialmente de uma ação judicial coletiva na Austrália, acusada de descumprir suas obrigações de informação aos investidores após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), em 2015.

A ação alega que houve problemas com a represa antes do rompimento e que a BHP deveria ter levado os riscos em conta e informado os acionistas. O documento também reivindica as perdas sofridas pelos acionistas entre outubro de 2013 e novembro de 2015.

“A ação coletiva buscará recuperar as perdas para os acionistas nesse período, no qual o valor de mercado combinado da BHP caiu mais de US$ 25 bilhões”, afirma o texto de apresentação do site.

Na semana passada, a BHP informou que espera registrar um impacto de US$650 milhões em seus resultados fiscais de 2018, devido o rompimento da barragem, segundo a Reuters.

A BHP e a Vale são coproprietárias da Samarco, dona da barragem de Fundão. As mineradoras chegaram no mês passado a um acordo com as autoridades brasileiras para resolver a ação civil de R$20 bilhões pela tragédia. A tragédia deixou 19 mortos, centenas de desabrigados e destruiu a bacia do Rio Doce.

** Com informações do G1