Minas Gerais espera eliminar 50 barragens em até três anos

(Foto: Divulgação)

A Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais determinou que as barragens de alteamento de montante, mesma tecnologia usada nas barragens de Mariana e Brumadinho, construídas no estado sejam encerradas em até três anos.

Atualmente, existem 51 barragens por alteamento a montante em Minas Gerais, sendo que 27 estão em operação, 22 estão paralisadas e duas se romperam.

Segundo especialistas, esse tipo de barragem é bastante comum e mais barato, entretanto é menos seguro, em razão dos riscos de acidentes.

Essas barragens deverão deixar de conter rejeitos e ter outra finalidade. As mineradoras terão até 360 dias para apresentar a tecnologia que será adotada e o cronograma de trabalho, e dois anos para concluir a implementação.

Hoje, o Brasil tem quase 200 barragens de mineração com potencial de dano classificado alto, de acordo com dados da Agência Nacional de Mineração (ANM). As barragens 1 e 2 da Mina Engenho, em Rio Acima (MG), são consideradas as mais perigosas do país e ameaçam um manancial da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

As barragens com rejeitos químicos de exploração de ouro e com presença de cianeto foram abandonadas pela empresa Mundo Mineração e hoje estão sob responsabilidade do governo de MG.

Na terça-feira, a Vale informou que investirá R$5 bilhões para descomissionar as dez barragens construídas semelhantes a de Brumadinho em todo o país.

** Com informações do G1