O caminho da lama

O rompimento de duas barragens na região da cidade histórica de Mariana – MG foi na quinta à tarde. A lama segue em direção ao mar e vai passar pelo Espírito Santo.

Ontem, o Rio Gualaxo do Norte subiu repentinamente cinco metros, inundando a cidade vizinha de Barra Longa, que decretou estado de calamidade pública. Agora, avança por um dos maiores rios de Minas – já castigado pela crise hídrica e pela poluição. O alerta foi emitido pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que mantém monitoramento de hora em hora da bacia. A onda passou pela calha do Rio Doce, onde atingiu a Usina Risoleta Neves (Candonga), a 111 quilômetros de Mariana, está chegando em Governador Valadares, a maior cidade mineira no curso do acidente.

Por volta das 11h, a lama invadiu o distrito de Paracatu. 50 casas foram destruídas. O local está em baixo de lama e não há informações sobre vítimas porque houve tempo de evacuar casas nas regiões ribeirinhas.

lama invade distrito de Paracatu  Foto- G1MG
lama invade distrito de Paracatu
Foto- G1MG

A Prefeitura de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, divulgou uma nota, no início da noite desta sexta-feira, informando que a lama advinda do rompimento das barragens da mineradora Samarco em Bento Rodrigues deve atingir as águas do Rio Doce na madrugada do  domingo. Por isso, o abastecimento de água no município será cortado.

No caminho do rio de lama, além de Valadares estão Ponte Nova, Nova Era, Antônio Dias, Coronel Fabriciano, Timóteo, Ipatinga, Tumiritinga, Resplendor, Galileia, Conselheiro Pena e Aimorés – em Minas. Baixo Guandu, Colatina e Linhares, no Espírito Santo, já foram alertados para o risco de enchentes.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) informou que as bombas serão paralisadas no momento em que a água contaminada chegar. Amostras serão colhidas e a água, analisada. Caso seja possível o tratamento garantindo a qualidade e sem nenhum risco à saúde, o abastecimento voltará ao normal. Se isso não acontecer, o fornecimento continuará suspenso.

Em Colatina, cidadãos estão estocando água à pedido da prefeitura.

A Câmara Técnica de Gestão de Eventos Críticos (CTGEC) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CBH-Doce) monitora a onda que desce pela calha do Rio Doce. A previsão dos técnicos é que a lama chegue agora à tarde no Parque Estadual do Rio Doce (Estação de Cachoeira dos Óculos), à noite chegará à estação de Belo Oriente; na madrugada de domingo à estação Governador Valadares; na tarde do mesmo dia, à estação Colatina, no Espírito Santo, e até segunda-feira a Linhares.