O trabalho vai durar dias

(Reprodução)

 

O Corpo de Bombeiros MG divulgou que um corpo foi resgatado ao próximo à cidade de Rio Doce, a cerca de 100 quilômetros do distrito de Bento Rodrigues. Esta é a segunda morte confirmada em decorrência do rompimento das barragens.

Nesse momento, acontece em Mariana, entrevista coletiva do coronel Alexandre Lucas, da Defesa Civil de Belo Horizonte, que trata sobre as providências e informações oficiais sobre o atendimento às vítimas do rompimento das Barragens Fundão e Santarém.

Enxurrada de lama chegou ao distrito de Barra Longa, 70 Km de Mariana, onde estão as barragens destruídas. O abastecimento de água na região metropolitana de BH está sendo monitorada para evitar contaminação.

O Coronel Helbert Figueiró, coordenador da Defesa Civil, afirmou que o trabalho vai durar dias.

O Corpo de Bombeiros MG afirmou, na manhã desta sexta-feira, 6, que há riscos em outra barragem. De acordo com o assessor de comunicação, major Rubem da Cruz, a corporação monitora uma terceira barragem na cidade de Mariana, que poderia ter um novo risco de rompimento.

Em entrevista à Rádio CBN, ele afirmou que uma vistoria foi realizada durante a madrugada e deve-se repetir na manhã desta sexta-feira. Ainda segundo ele, a hipótese de que um abalo sísmico de 2 pontos na escala Richter poderia ter causado os rompimentos está sendo investigada.

A USP registrou abalos sísmicos em MG antes do rompimento. Segundo a USP, porém, ainda não é possível atribuir o incidente diretamente aos tremores registrados na região, que foram relativamente fracos.

arte-nova-barragem