Burocracia prejudica meio ambiente, diz ministro

(Foto: Pedro Calado/ Secretaria do Meio Ambiente)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que a falta de desenvolvimento econômico é um dos maiores problemas para adotar melhores práticas ambientais, durante evento no Rio de Janeiro.

Segundo Salles, a burocracia imposta pela atual legislação ambiental prejudica o desenvolvimento econômico e, consequentemente, a geração de recursos financeiros para o meio ambiente.

Salles defendeu a criação de uma nova legislação ambiental, que “defina quais são as prioridades, que coloque o nosso pessoal para daquilo que realmente interessa. E que faça o autolicenciamento”.

Uma nova legislação também reconheceria atividades autodeclaratórias, como desonerar recursos técnicos e financeiros dos órgãos públicos para aprofundar análises.

Outro problema da legislação apontado pelo ministro é o conflito de jurisdição e a falta de clareza sobre licenças concedidas por órgãos públicos.

Sobre a população que vive na Amazônia, Salles disse que espera dar condições melhores para que “tenham atividades econômica e possam produzir para sustentar suas famílias”, a partir da interação com a biodiversidade.

De acordo com o ministro, uma legislação que proíba completamente a exploração de madeira na Amazônia força as pessoas a praticarem atividade ilegal para não passarem fome.

** Com informações da Agência Brasil