Câmara dos Deputados aprova Acordo de Paris

(Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil)

Sete meses após a COP 21, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a Mensagem 235/16, que solicita ao Congresso Nacional assinar o acordo de Paris. O texto segue agora para o Senado e se for aprovado, o governo brasileiro poderá ratificar o documento da ONU.

O dia 12 de dezembro de 2015 entrou para a história quando representantes de 195 países aprovaram o Acordo de Paris na Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP 21). O documento prevê o compromisso global para limitar em menos de 2 graus o aquecimento do planeta e atenuar os seus efeitos para o meio ambiente e os seres humanos.

Para o secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, “o grande passo que vem a seguir precisará ser dado pelo governo – transformar a nossa economia no caminho da eliminação progressiva e cada vez mais rápida das emissões de gases de efeito estufa. E, para isso, não precisará fazer mais nada além de aproveitar o que o Brasil tem de oportunidades: zerar o desmatamento, restaurar florestas, tornar a agropecuária muito mais eficiente e usar mais o sol, o vento e a biomassa para gerar energia”.

Com base nos números de 2005, o Brasil se comprometeu a reduzir suas emissões em 37% até 2025 e em 43% até 2030. Para fazer isso, se propôs a zerar o desmatamento ilegal na Amazônia até 2030, a recuperar 12 milhões de hectares de áreas desmatadas e aumentar o uso de energias renováveis.

Para que o Acordo de Paris entre em vigor em âmbito internacional em 2020, no mínimo 55 países devem confirmar o seu compromisso com o planeta, desde que juntos representem 55% das emissões de gases estufa do planeta. Até o momento, 19 países já assinaram o acordo, mas somam apenas 0,18% das emissões mundiais.

** Com informações do jornal Estadão