Paris estuda processar petroleiras por danos no clima

(Foto: Pixabay)

Após as cidades de São Francisco, Oakland e Nova York processarem a indústria petrolífera, a rede ecologista francesa Conselho de Paris está estudando medidas para processar empresas de combustíveis fósseis, como a Shell, a BP e a Exxon, por causar danos ao clima e acelerar o processo de aquecimento do planeta.

A medida foi anunciada no manifesto “Desejo uma Paris Descarbonizada”, um documento online que informa várias considerações sobre o desinvestimento do setor fóssil e leva em consideração os compromissos assumidos no Acordo de Paris.

“É uma notícia fantástica que cidades como Nova York e Paris estão assumindo a liderança para proteger seus cidadãos e responsabilizar as grandes corporações pelo prejuízo que causam. Este é um grande avanço para aqueles que defendem o desinvestimento em todo o mundo”, comentou Clémence Dubois, coordenadora de campanhas da 350.org França.

De acordo com a organização, os depósitos de energias fósseis exploradas em processo equivalem a, no mínimo, cinco vezes mais o nível das emissões que foram estabelecidas pelo Acordo do Clima.

A organização também ressalta as medidas tomadas ao redor do mundo para acabar com o uso de combustíveis fósseis. Cerca de 80 economistas de 20 países pediram o fim imediato de qualquer investimento no setor.

Nos Estados Unidos, mais de 125 cidades, 9 estados, 902 empresas e 83 universidades se uniram ao “Ainda estamos em”, movimento criado após o anúncio da saída do país americano do Acordo de Paris para mostrar que os norte-americanos fariam a sua parte.

O manifesto “Desejo uma Paris Descarbonizada” está disponível (em francês) em: https://elus-paris.eelv.fr/2018/01/23/voeu-pour-un-paris-decarbone/

** Com informações do 350.org