Governo de Mato Grosso ocultou dados da exploração ilegal de madeira

toras de madeira, árvores desmatadas, desmatamento
(Foto: Pixabay)

Cerca de 61,7% da exploração de madeira no Mato Grosso ocorreu em áreas não autorizadas, entre junho de 2014 e outubro de 2015, revela um relatório ocultado pelo governo estadual. A área de exploração ilegal cresceu 27%, em relação ao levantamento anterior (2013/ 2014).

Os percentuais são calculados a partir de imagens de satélite, que avaliam a atividade madeireira, contrastadas com áreas em que a exploração é permitida. Ao todo, foram mapeados 287.336 hectares, o equivalente a quase dois municípios de São Paulo.

O resultado oficial é pior do que o que o estudo divulgado pela ONG Instituto Centro de Vida (ICV), em meados de fevereiro, com uma metodologia semelhante. Comparado com o estudo do governo, o ICV estimou em 43% o percentual da exploração em áreas proibidas no estado, entre agosto de 2014 e julho de 2015.

Segundo o coautor do estudo do ICV, Vinicius Silgueiro, a diferença se deve à periodização maior do relatório oficial.

Questionada sobre os resultados encontrados pelo ICV na época da divulgação do estudo pela Folha de S.Paulo, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) contestou o relatório e afirmou que a exploração ilegal de madeira está em queda no estado. A exploração de madeira  não é calculada da mesma forma que o desmatamento.

** Com informações da Folha de S.Paulo