Dinamarca aprova pacote climático para reduzir as emissões de CO2

Foto - Pixabay

O parlamento da Dinamarca aprovou uma série de medidas para reduzir as suas emissões de dióxido de carbono (CO2), em 3,4 milhões de toneladas, e formular uma taxa “verde”.

O pacote foi criado a partir de um acordo, no final do ano passado, para aprovar uma lei climática que visa reduzir as emissões de gases poluentes em 70% até 2030, o equivalente a 19 milhões de toneladas de CO2.

O pacote climático inclui a construção de duas ilhas artificiais de “energia”. Uma na ilha de Bornholm, no Mar Báltico, para gerar 2 GW de energia, e a outra em uma estrutura artificial no Mar do Norte, com capacidade de geração de 3 GW e, no mínimo, 10 GW a longo prazo.

O parlamento também autorizou o desenvolvimento de um projeto eólico offshore na zona de Hesselo, entre a Dinamarca e a Suécia.

O próximo passo do país é especificar nos próximos orçamentos uma taxa de emissão de CO2, que deve levar em conta o “desenvolvimento industrial sustentável e a competitividade” das empresas, subsídios para eletrificação e melhoria da eficácia energética. Assim como incentivos fiscais para o uso de energia limpa.

O ministro do Clima da Dinamarca, Dan Jørgensen, indicou que a Dinamarca mais uma vez assume a “liderança climática mundial” com o acordo, enquanto várias organizações ambientais criticam que o “imposto verde” ainda não está implementado.