Transplante de corais pode salvar a Grande Barreira na Austrália

(Foto: Freepik)

Cientistas australianos anunciaram o transplante de larvas de corais da Grande Barreira de Corais para uma parte do recife que está danificada para recuperar o ecossistema.

Os pesquisadores coletaram grandes quantidades de ovos de corais no final de 2016, que, posteriormente, originaram larvas. Esses organismos foram transplantados em uma área do recife na ilha de Heron, na costa leste da Austrália. Oito meses após o transplante, os pesquisadores encontraram corais jovens.

“O sucesso desta nova mostra que podemos começar a restaurar e reparar populações de corais danificadas em áreas onde a produção natural de larvas está em perigo”, explicou Peter Harrison, da Universidade de Southern Cross.

Os cientistas estão otimistas de que este novo método possa ser aplicado em outras áreas de corais degradadas ao redor do mundo para recuperar os recifes em grande escala.

“O sucesso desses testes é encorajador, o próximo desafio é transformar em uma tecnologia em maior escala que faça a diferença no recife em seu conjunto”, afirmou David Wachenfeld, diretor do Parque Marinho da Grande Barreira.

Pelo segundo ano consecutivo, a Grande Barreira de Corais está ameaça pelo Branqueamento, um fenômeno causado pelo aquecimento das águas do oceano devido a poluição, a pesca excessiva e ao aquecimento global.

Uma avaliação econômica feita pela empresa Deloitte Access Economics constatou que a barreira de corais vale $56 bilhões de dólares australianos e contribuiu com, aproximadamente, $6,4 bilhões à economia em 2015 e 2016.

** Com informações da France Presse