Programa de coleta e reciclagem de lâmpadas no Amazonas

(Foto: Freepik)

O programa será implantado pela Associação Brasileira para a Gestão da Logística Reversa, entidade sem fins lucrativos, que reúne os principais produtores e importadores de lâmpadas do Brasil. Atualmente, a associação conta com 71 empresas associadas.

O processo de separação dos componentes utiliza tecnologia avançada, para que não haja a contaminação do ambiente e das pessoas que operam os equipamentos. Segundo a associação, basicamente, separam-se os componentes de metal (terminais de alumínio, soquetes, e estruturas metálicas), o vidro (em forma de tubo, ou outra), o pó fosfórico (pó branco contido no interior) e, principalmente, o mercúrio, que é extraído e recuperado em seu estado líquido elementar.

É possível utilizar os resíduos na fabricação de vários outros produtos: vidros na produção de novos vidros para uso não alimentar; pinos de latão que podem ser fundidos e utilizados para produção de novos materiais; e pó fosfórico que, uma vez livre do mercúrio, pode ser reutilizado em fábricas de cimento ou asfalto.