El Niño está mais forte

A previsão do tempo com o fenômeno El NiÑo não é nada bacana: ondas de calor serão mais quentes e mais frequentes e mais lugares ficarão sob risco de inundação, enquanto as tempestades  serão mais severas (como acompanhamos nos Estados Unidos e na tríplice fronteira  Argentina-Brasil-Paraguai) e os furacões de categorias 4 e 5 poderão ocorrer com mais frequência, como vimos no meio oeste americano.

Além disso, o aumento do nível do mar significa que tsunamis e ressacas terão mais alcance e infligir mais dano quando atingirem a terra, afirma o serviço meteorológico da ONU.

As condições do El Niño, em geral, atingem força máxima entre outubro e janeiro e persistem pela maior parte do primeiro trimestre do ano, mas neste ano pode ser diferente. Então, governantes precisam

preparar suas cidades para que o cidadão seja o menos prejudicado possível.

“Antecipamos que o El Niño terá pico dentro dos próximos meses e, progressivamente, quando entrarmos no segundo trimestre entrará em condições mais neutras”, informa a OMM (Organização Meteorológica Mundial).