Emissão de carbono bate recorde em 2017, aponta ONU

(Foto: Pixabay)

Novo levantamento da Organização Meteorológica Mundial (OMM), divulgado nesta quinta-feira (22), revelou que a emissão de gás carbônico na atmosfera chegou 405,5 partículas por milhão em 2017, um aumento de 0,5% em comparação a 2016.

O índice mantém a taxa de crescimento médio da última década, que foi a mais rápida em 55 milhões de anos. A Agência estima que desde 1750, a emissão de dióxido de carbono aumentou 46%, sendo que 23% ocorreu nos últimos 30 anos.

“Sem cortes rápidos em CO2 e outros gases estufa, as mudanças climáticas terão efeitos destrutivos e irreversíveis sobre a vida na Terra. A janela de oportunidade para ação está quase fechada”, disse Petteri Taalas, secretário-geral da OMM.

No Brasil, as emissões de gases de efeito estufa caíram 2,3%, segundo dados divulgados pelo Observatório do Clima. No ano passado, o país gerou 2,071 bilhões de toneladas brutas, enquanto foram registradas 2,119 bilhões de toneladas em 2016.

Ainda assim, o Brasil é o sétimo país do mundo que mais contribui para o aquecimento global.

Os dados foram publicados a tempo das negociações climáticas da COP24, que acontecerá entre os dias 02 e 14 de dezembro na Polônia, para decidir um plano de implementação para o Acordo de Paris.

** Com informações da ONU