Emissão de gases de efeito estufa da Índia cresce 29%

(Foto: Reprodução/ Reuters/ Yves Herman)

O sistema brasileiro SEEG é uma plataforma baseada em sistema de estimativa de emissões desenvolvido pelo Observatório do Clima e foi lançada em Nova Déli com dados de 2007 a 2012, que comprovam que a Índia é o quarto maior emissor de carbono do mundo, com 29% de aumento nas emissões de gases de efeito estufa.

O maior crescimento (33,8%) ocorreu no setor de energia, devido principalmente à queima de carvão mineral para geração de eletricidade. As emissões de transportes, que integram o setor energético, subiram 40% no período, mas ainda são pequenas em comparação com as da produção de energia elétrica (916,3 milhões de toneladas, um crescimento de 36%).

Por outro lado, as emissões agrícolas permaneceram estáveis e as remoções de carbono por florestas plantadas superaram as emissões por desmatamento e degradação florestal. O setor de florestas produziu remoções de quase 180 milhões de toneladas de CO2 equivalente.

O plano climático apresentado pela Índia ao Acordo de Paris (INDC) traz o compromisso de reduzir a intensidade de emissões por dólar produzido no PIB em 33% a 35% em 2030 em relação a 2005.